Planejamento global, melhorias de processo e substituição de tecnologia artesanal por industrializada elevam a produtividade e reduzem a demanda por mão de obra na PDCA Engenharia | Construção Mercado

Gestão

Produtividade em alta em obras habitacionais

Planejamento global, melhorias de processo e substituição de tecnologia artesanal por industrializada elevam a produtividade e reduzem a demanda por mão de obra na PDCA Engenharia

Edição 150 - Janeiro/2014
Divulgação: PDCA Engenharia
A industrialização das atividades no canteiro, com a substituição da alvenaria tradicional pelo sistema de paredes de concreto induziu ganhos significativos de produtividade

Fazer cada vez mais com equipes enxutas e alto desempenho é a meta que a construtora mineira PDCA tem perseguido desde 2009. A aceleração do crescimento econômico brasileiro e a crescente oferta de crédito no mercado imobiliário aqueceram a construção habitacional. Contudo, como resultado deste crescimento, houve a diminuição da oferta de mão de obra. "Trabalhadores como carpinteiros, ceramistas e armadores estão em extinção no mercado. Esses ofícios perderam seu prestígio e não atraem mais a parcela jovem da população que está em busca apenas de tecnologia", constata Antonio Carlos da Cruz Tiburcio, gerente de engenharia na PDCA Engenharia. Ele conta que, atuando em mais de 15 municípios, a PDCA precisou ser arrojada no enfrentamento de problemas como a falta de mão de obra local, a dificuldade de entrega de materiais e a ocorrência de condições climáticas adversas.

Foi esse o contexto que mobilizou a construtora a rever suas práticas e técnicas. O primeiro passo foi levantar um histórico de produtividade, medindo as produções de cada serviço, em cada obra. O objetivo era entender onde estavam as deficiências para planejar melhorias.


Uma vez identificados os gargalos de produção, a construtora listou algumas ações que poderiam gerar incrementos significativos de produtividade. Entre elas, Tiburcio destaca:
- Busca de ferramentas adequadas para que os trabalhadores pudessem exercer suas atividades com segurança e produtividade;
- Melhoria na qualidade dos projetos, de forma que as definições de como executar se tornassem mais automáticas. Os projetos arquitetônicos, por exemplo, foram revisados para que as medidas dos cômodos fossem sempre múltiplos de 30 cm, de modo que a cerâmica a ser assentada não tivesse que passar por recortes, gerando perdas de material e maior tempo de assentamento.
- Investir em novos processos construtivos que não tivessem mais a característica artesanal.
- Melhorar a qualificação da mão de obra com treinamentos intensivos e constantes.


EVOLUÇÃO DA PRODUTIVIDADE NOS CANTEIROS DA PDCA

Plano de ação

A empresa então montou uma comissão multidisciplinar, formada por engenheiros, administradores, gestores de pessoal e financistas que, após alguns meses de trabalho, começou a colocar as melhorias em prática.

Um dos pontos fundamentais desse processo foi a adoção de um novo sistema construtivo. A construtora, que tem foco no segmento habitacional e obras com elevado grau de repetição, apostou na tecnologia de paredes de concreto que utiliza concreto dosado em central em substituição à alvenaria. Nesse sistema, as paredes são pré-moldadas no canteiro em fôrmas e depois são içadas até seus locais definitivos

Além disso, foram realizadas mudanças de procedimentos que exigiram baixo ou nenhum investimento. Uma medida simples, mas de resultado impactante, foi a adoção do nível a laser para a marcação das obras. "Antes, uma equipe de três profissionais conseguia fazer a marcação de quatro casas/dia. Agora, com a utilização desse aparelho, são marcadas de oito a nove casas/dia", revela Antonio Carlos Tiburcio.

Um dos empreendimentos da PDCA que estão tirando proveito das melhorias implantadas pela construtora é o Residencial Nova Ituiutaba I e II atualmente em construção no Triângulo Mineiro e integrante do Programa Minha Casa Minha Vida. Ao todo são mil casas de padrão popular, que num processo convencional de produção levariam 24 meses para ficarem prontas. Com incremento de produtividade, a obra trabalha com um cronograma de 18 meses que, possivelmente, será reduzido para 12 meses.

FICHA TÉCNICA

Divulgação: Lafem

Nome do empreendimento: Residencial Nova Ituiutaba I e III
Localização: Ituiutaba (MG)
Construção: PDCA Engenharia
Projeto de arquitetura: arq. Wagner de Oliveira
Projeto de estrutura: eng. Everson Nascimento
Fornecedor do concreto: CFL Construtora Ferreira Lima
Área do terreno: 242.507 m² (Ituiutaba I) e 249.301 m² (Ituiutaba III)
Área construída: 23.667 m² (Ituiutaba I) e 20.938 m² (Ituiutaba III)
Início da obra: fev/2013
Término da obra: ago/2014

Destaques da Loja Pini
Aplicativos