Sistema construtivo para paredes, forros e revestimento em drywall pode se adequar a diferentes aplicações. Conheça os principais sistemas disponíveis e requisitos para especificação | Construção Mercado

Construção

Drywall - Sistemas, componentes e isolamentos

Sistema construtivo para paredes, forros e revestimento em drywall pode se adequar a diferentes aplicações. Conheça os principais sistemas disponíveis e requisitos para especificação

Por Juliana Nakamura
Edição 150 - Janeiro/2014
Detalhe técnico de parede acústica em drywall
Forro estruturado de drywall com luminária fixada
Revestimento de drywall colado sobre alvenaria

Já paredes de 200 mm de espessura, com duas chapas de cada lado e lã mineral no interior, chegam a isolar de 64 dB a 66 dB. Quanto maiores forem a espessura e o número de chapas, assim como o vão interno entre as chapas e a densidade do recheio utilizado, maior será a capacidade de o conjunto reter e atenuar ruídos.

A resistência do sistema de parede de drywall é influenciada por fatores como espessura, fixação e espaçamento das estruturas, além da altura da parede. No que tange às chapas de gesso, são determinantes aspectos como espessura, rigidez, resistência à ruptura e número de camadas, além da dureza do gesso. Também impactam o sistema elementos como carga adicional, carga pontual temporária e ação do vento (carga uniformemente distribuída).

Principais sistemas para forros
O forro estruturado é um sistema fixo, que gera uma superfície monolítica. É formado pelo aparafusamento das chapas de drywall em estruturas de aço galvanizado. O forro é suspenso por pendurais compostos de suportes niveladores associados a tirantes de aço galvanizado. O perímetro do forro estruturado pode ser executado com cantoneiras, caso o forro seja estanque, ou com tabicas, se for dilatado. É possível executar adicionalmente outros detalhes de dilatação perimetral ou no meio do pano do forro.

Forros removíveis são formados pela sobreposição de chapas de gesso em perfis do tipo T. A dimensão das chapas varia de acordo com a modulação da estrutura. O forro é composto por uma só camada de chapas, que podem ser removidas para acesso às instalações do plenum. Esse tipo de solução é muito utilizado em obras não residenciais, como supermercados, escritórios e escolas.

Forros aramados, indicados para aplicação em pequenas áreas, são formados pela justaposição de chapas de gesso com 600 mm de largura, unidas por meio de junções H. São suspensos por arame de aço galvanizado. O perímetro do forro aramado pode ser estanque ou dilatado.

O forro acústico estruturado é instalado de forma fixa e tem como característica a presença de chapas perfuradas que garantem alto índice de absorção acústica. Tal desempenho pode ser acentuado com o uso de lã mineral ou lã de vidro no entreforro (plenum do forro). Trata-se de uma variante do forro estruturado.

Os materiais isolantes comumente utilizados em forros de drywall são lã de vidro, lã de rocha e lã de PET. A lã de vidro é composta de sílica, vitrificantes, carbonatos e sulfatos, podendo ser fornecida em rolos ou painéis. Incombustível, é produzida com densidades que vão de 10 kg/m³ a 100 kg/m².

A lã de rocha é obtida por meio da fusão de rochas basálticas orgânicas e óleos impermeabilizantes, sendo produzida com densidades que vão de 32 kg/ m² a 160 kg/m³. Tem como principal característica a resistência maior à ação do fogo em comparação com os outros tipos de lãs.

A lã de PET é feita de lã de poliéster obtida de garrafas PET recicladas. Além do apelo ecológico, já que é um material reciclável, é de fácil manuseio. É vendida em densidades que variam entre 5 kg/ m³ e 35 kg/m³ e não propaga chamas.


PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2 | 3 | Próxima >>
Destaques da Loja Pini
Aplicativos