Desempenho das paredes de drywall depende de bom projeto, materiais em conformidade e mão de obra especializada | Construção Mercado

Construção

Como Contratar

Desempenho das paredes de drywall depende de bom projeto, materiais em conformidade e mão de obra especializada

Por Kelly Carvalho
Edição 150 - Janeiro/2014
Foto: Marcelo Scandaroli

O bom desempenho das paredes de drywall depende de um projeto adequado, com a especificação dos componentes corretos e inclusão de todos os detalhes necessários à montagem. Além disso, o contratante deve estar atento quanto à aquisição de chapas em conformidade com os requisitos de qualidade e à contratação apenas de profissionais especializados na execução das paredes.

Especificações
Segundo a Associação Brasileira do Drywall, as paredes são compostas por uma estrutura de perfis de aço galvanizado na qual são parafusadas chapas de gesso específicas para esse sistema. As chapas têm largura padrão de 1,20 m e comprimento que varia de 1,80 m a até mais de 3 m.

As chapas de utilização mais comum na construção brasileira são as Standard, para uso geral; Resistentes à Umidade (RU), para áreas molháveis como banheiros, cozinhas e áreas de serviço; e Resistentes ao Fogo (RF), para áreas em que se requer maior proteção em caso de incêndio. A espessura mais comum das chapas ST e RU é de 12,5 mm, enquanto as chapas RF são produzidas com 15 mm. Os perfis estruturais de aço são encontrados em larguras de 48 mm, 70 mm e 90 mm.

Após a montagem, a parede recebe tratamento nas juntas com fita de papel microperfurado e massa especial. "Não se utiliza gesso puro nessa operação porque o material pode trincar após a secagem", explica Carlos Roberto de Luca, gerente técnico da Associação Brasileira do Drywall. As cabeças dos parafusos também são recobertas com essa massa. Depois da secagem, a parede é lixada e pode receber qualquer tipo de acabamento como pintura, textura, papel de parede, revestimento cerâmico, com fórmica ou lambri de madeira.

O desempenho das paredes é definido por sua configuração, que inclui a estrutura - largura e espaçamento entre os perfis, uso de perfis simples ou duplos, entre outras possibilidades, o tipo de chapa e o número de camadas de cada lado, e o uso de um isolante acústico no interior da parede. "Uma parede drywall é parametrizável, podendo ser especificada a configuração mais adequada para o atendimento das exigências de resistência mecânica, conforto acústico e comportamento ao fogo definidos na Norma de Desempenho NBR 15.575:2013", afirma de Luca.

Cotação de preço e fornecedores
O contratante pode tanto comprar o drywall separadamente da contratação, como acertar a aquisição do produto pelo próprio instalador. Seja qual for o tipo de negociação, a Associação Drywall alerta que o maior cuidado deve ser com relação ao cumprimento das normas técnicas. Esse item, inclusive, deve constar em contrato, na parte referente às obrigações da empresa contratada.

A relação de empresas que atuam em conformidade com as exigências normativas pode ser encontrada no site www. qualidadedrywall.org.br ou na página referente ao Programa Setorial de Qualidade do Drywall (PSQ-Drywall), do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat (PBQP-H) do Ministério das Cidades.

Já a montagem de sistemas drywall deve ser executada por profissionais treinados e credenciados pelas empresas fabricantes. "Esses profissionais estão capacitados a prestar serviços de acordo com as exigências das normas", afirma de Luca.

Logística
É recomendável que as chapas sejam transportadas e armazenadas em paletes, sempre na posição horizontal para evitar avarias. Os paletes devem estar apoiados sobre pontaletes, empilhados na altura máxima definida nas embalagens. Já os perfis devem ser transportados e armazenados sem outros materiais por cima, para evitar amassamento.

Quando o produto chega ao canteiro, deve-se verificar se cada componente é identificado segundo as regras definidas nas normas técnicas, como o número de lote, data de fabricação e nome do fabricante, entre outros.

Manutenção e reparos
A manutenção superficial de uma parede drywall é a mesma da de uma parede de alvenaria. No caso de fixação de cargas, devem ser utilizadas buchas e elementos dfixação próprios para o sistema. Se forem necessários reparos em instalações internas, normalmente recorta-se com um serrote de ponta uma abertura quadrangular na parede, dando acesso à instalação. Após o reparo, a abertura é fechada com o próprio pedaço de chapa recortado, sendo fixado com perfis estruturais e parafusos. Em seguida, é feito o tratamento das juntas com massa específica. Após a secagem, se houve retração, aplica-se uma segunda demão de massa e depois toda a área tratada deve ser lixada e pintada. "Normalmente, reparos como esse são feitos em um só dia e a secagem da massa, dependendo das condições do clima, ocorre entre 24 e 48 horas", pontua de Luca.


PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>
Destaques da Loja Pini
Aplicativos