Conheça os principais componentes do elevador de cremalheira | Construção Mercado

Construção

Técnica ilustrada

Conheça os principais componentes do elevador de cremalheira

Por Juliana Nakamura
Edição 151 - Fevereiro/2014
 

Indicado para o transporte vertical de pessoas e cargas em alturas elevadas, o elevador de cremalheira é uma máquina que utiliza o sistema de pinhão e cremalheira, acionado por um motofreio. Atualmente, o mercado brasileiro oferece equipamentos com capacidade de carga que varia de 800 kg a 2 mil kg, e velocidade que vai de 35 m/min a 66 m/min. A escolha do modelo ideal deve considerar o volume de insumos a serem transportados, a capacidade do equipamento (carga e velocidade) e o tempo de transporte e descarga por pavimento. A opção pelo modelo de cabina dupla - com duas plataformas independentes correndo em lados opostos de uma mesma torre - pode ser vantajosa nas situações em que o volume de trabalho e a altura do prédio forem maiores (preferencialmente acima de seis andares). Conheça os principais elementos que compõem um elevador de cremalheira.

 

ILUSTRAÇÃO: DANIEL BENEVENTI

Clique para ampliar a imagem

 

1- Base metálica
Deve ser dimensionada para atender às cargas solicitantes. Pode contar com um sistema de molas de amortecimento para permitir uma parada da cabina suave no caso de um possível escorregamento.

2- Cerca de proteção
São painéis de aço com a função de isolar a fundação e o patamar térreo do elevador. Isola a torre e o cabo de alimentação do elevador.

3- Torre do elevador
São elementos estruturais formados por treliças de aço tubulares e cantoneiras de perfis metálicos. A torre é fixada à estrutura da edificação e estabilizada com conjuntos de tirantes de amarração telescópicos. Os tirantes são disponíveis em diversos modelos e tamanhos de acordo com o tipo de elevador. Na torre são alocadas as cremalheiras, responsáveis pelo tracionamento da cabina junto com os motores.

4- Cabina
É o elemento que carrega as pessoas ou o material para baixo e para cima. Possui paredes parcialmente ou totalmente de tela para entrada de luz natural, além de portas de entrada e saída que podem abrir para os dois lados ou somente deslizando para cima.

5- Maquinário
É composto pelo conjunto de motores elétricos e freios eletromagnéticos. O movimento ascendente da cabina se dá pelo engate do pinhão na cremalheira. Os pinhões são encaixados em engrenagens, acionadas pelos motores elétricos.

6- Dispositivo guia de cabo
É um elemento que abriga o cabo de alimentação da cabina. Localiza-se no patamar térreo.

7- Freio de segurança
Atua de forma centrífuga e é acionado quando o elevador ultrapassa a velocidade preestabelecida para funcionamento. Em equipamentos cuja capacidade de carga é superior a 1.550 kg é instalado um freio de emergência suplementar simultâneo ao freio de emergência principal.

8- Botoeiras
O elevador pode ser operado pelo lado interno da cabina por botões de subir, descer e parar. Também pode ser operado por alavanca de controle que possui uma mola de retorno para a posição parar.

9- Quadro elétrico
É o cérebro do equipamento. Dentro dele há uma célula (mini CLP) que interpreta e realiza os comandos solicitados pelo usuário.

Por Juliana Nakamura
Fontes:
Associação dos Locadores de Equipamentos para a Construção Civil (Alec) e catálogo de fabricantes.

 

Destaques da Loja Pini
Aplicativos