Como comprar geogrelhas | Construção Mercado

Construção

Como comprar geogrelhas

Como comprar geogrelhas

Por Bruno Loturco
Edição 154 - Maio/2014
 

Fotos: Marcelo Scandaroli
As geogrelhas geralmente são fornecidas em rolo e são de simples execução

Adequados principalmente para uso em estruturas de contenção em solos moles, com pouca resistência à tração, geossintéticos em geral - geogrelhas entre eles - aumentam a resistência de taludes e aterros para evitar deslizamentos. De acordo com Emerson José Ananias, da Associação Brasileira de Geossintéticos Brasil (IGS), são três os principais grupos de aplicação de geogrelhas: contenções em solo reforçado; reforço de aterros sobre solos moles; e reforço em pavimentação rodoviária e ferroviária, além de reforço de fundações.

Geralmente, para minimizar custos com transporte, é utilizado o mesmo solo do local a ser aterrado. Os sistemas têm execução simples, dispensam mão de obra especializada e não alteram as características do terreno, pois apenas transferem as cargas de um material para o outro.

Especificações técnicas
Geogrelhas são vendidas por metro quadrado, entregues em rolos fechados, normalmente com 500 m² cada, aproximadamente. A depender da resistência à tração desejada, pode haver variações na quantidade por bobina.

Ananias afirma que o mais importante, ao comprar geogrelhas, é o responsável pela aquisição estar plenamente ciente das seguintes características do material:
- Resistência à tração mínima (em kN/m)
- Alongamento na carga máxima (em % )
- Fatores de redução máximos do material
Segundo ele, este último é "fundamental para garantir a qualidade do comportamento do material em longo prazo". Afinal, contempla o comportamento das geogrelhas quanto à fluência à tração, danos mecânicos de instalação e danos de durabilidade pela permanência do material no meio.

O projetista, por sua vez, "deve especificar propriedades como tipo de polímero, resistência à tração de pico e de projeto, fatores de redução empregados, vida útil, abertura da malha, deformação em serviço, processo de instalação, detalhes de emendas etc.", diz Mauricio Abramento, da CEG Engenharia, empresa de consultoria na área de solos. O casamento entre a especificação e a compra merece atenção especial, afirma Abramento. "Pode acontecer de a compra não obedecer aos critérios estabelecidos na especificação. Às vezes, existe confusão entre resistência de projeto e de pico, que são números muito diferentes", alerta. Ananias concorda e explica que uma das grandes dificuldades do setor de compras, decorrente da falta de informações de projeto, é equalizar propostas de fornecedores.

 

Normas técnicas
NBR 9.862 - Geossintéticos - Amostragem e Preparação de Corpos de Prova para Ensaios
NBR 10.318 - Geossintéticos - Termos e Definições
NBR 10.319 - Geossintéticos - Ensaio de Tração Faixa Larga
NBR 10.320 - Geotêxteis e Produtos Correlatos - Identificação na Obra
NBR 10.321 - Geossintéticos - Ensaio de Tração de Emendas pelo Método da Faixa Larga
NBR 12.957 - Geossintéticos - Determinação das Características de Atrito
NBR 15.226 - Geossintéticos - Determinação do Comportamento em Deformação e na Ruptura, por Fluência sob Tração Não Confinada


 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Aplicações mais comuns para geogrelhas são reforço de fundações, contenções em solo reforçado, reforço de aterros sobre solos moles, e reforço em pavimentação rodoviária e ferroviária

 

Recebimento e estocagem
Produtos geossintéticos estão sujeitos a danos em todas as fases, durante o transporte, a armazenagem em canteiro e a instalação. Assim, para manutenção de suas propriedades, é importante que recebam os devidos cuidados. Conforme explica Emerson Ananias, do IGS Brasil, o primeiro passo no recebimento dos materiais é assegurar-se de que estejam acompanhados dos respectivos certificados de qualidade. Além disso, os rolos devem estar identificados conforme as orientações da NBR 10.320 e é preciso conferir se os materiais entregues são os mesmos especificados no projeto e no pedido de compra.

A estocagem em canteiro deve ser feita em local ao abrigo da luz solar, pois o material pode ser prejudicado pelos raios UV. "Deve-se evitar ambientes agressivos, temperaturas elevadas e o contato ou exposição direta da geogrelha com materiais que possam danificá-la", orienta Ananias. Dessa maneira, o armazenamento deve ser feito em pilhas não superiores a 3 m de altura e nenhuma sobrecarga deve ser colocada sobre as pilhas. Para a movimentação em canteiros, devido ao peso dos rolos, pode ser necessário utilizar equipamentos mecânicos.

Instalação
As construtoras podem optar entre apenas comprar as geogrelhas ou contratar junto o serviço de instalação. Ananias explica que, em geral, para aterros e pavimentações, o mais comum é utilizar mão de obra própria. "Todavia, em aplicações de contenções em solo reforçado, existem empresas especializadas na instalação", pondera, lembrando que "empresas fornecedoras de boa qualidade prestam assistência técnica tanto para a orientação da compra quanto para a aplicação".

De qualquer maneira, Abramento lembra que existem procedimentos específicos de instalação que devem ser seguidos para obtenção dos índices de desempenho esperados. Eles dizem respeito à disposição da geogrelha (posicionamento correto na direção de maior e menor resistência), emendas, ancoragem, sobreposição, dentre outros. Para evitar tais problemas, Ananias vê como fundamental a fiscalização dos serviços por parte do engenheiro responsável.

A verificação da qualidade do serviço depende dos critérios de desempenho adotados, sendo específicos de cada aplicação. Por isso, o ideal é que os projetos já determinem tais critérios e os valores esperados. "O desempenho de obras de reforço com geossintéticos é realizado com instrumentação (marcos superficiais, medidores de recalque e deslocamentos e inclinômetros)", explica Mauro Hernandez Lozano, diretor presidente da Dýnamis Engenharia Geotécnica.

Por Bruno Loturco

 

Destaques da Loja Pini
Aplicativos