Planejamento e controle rigoroso sobre a produtividade permitem à construtora entregar empreendimento residencial com dois meses de antecedência | Construção Mercado

Gestão

Produtividade real

Planejamento e controle rigoroso sobre a produtividade permitem à construtora entregar empreendimento residencial com dois meses de antecedência

Por Juliana Nakamura
Edição 156 - Julho/2014
Divulgação MBigucci
Localizado ao lado do Shopping Metrópole, em São Bernardo do Campo (SP), o UP terá 84 apartamentos com plantas de dois e três dormitórios e estrutura de lazer

Concluir as obras dentro do cronograma previamente definido, sem comprometimento da qualidade, é uma vitória e um objetivo arduamente perseguido pelas construtoras. Imagine o que significa surpreender seus clientes entregando o empreendimento com dois meses de antecedência. O fato, raro na construção civil, aconteceu com a construtora MBigucci nas obras do UP MBigucci, residencial composto por uma torre de 14 andares e unidades de dois e três dormitórios, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

Inicialmente previsto para ser entregue em junho/2014, o empreendimento foi concluído em abril graças a uma combinação de estratégias que incluiu planejamento e controles minuciosos sobre o andamento da empreitada.

Também ajudaram as intervenções rápidas diante da necessidade de correções e de imprevistos. Um deles aconteceu faltando apenas seis meses para finalizar a obra. Detectou- se, na ocasião, a necessidade de realizar uma contenção extra, executada por meio de solo grampeado, serviço que não estava previsto no cronograma.

Milton Bigucci Junior, diretor técnico da construtora, conta que para não impactar no prazo final, foram analisados detalhadamente todos os serviços posteriores, visando a diminuir o ciclo de produção de cada um deles. Para compensar os atrasos, foi necessário redimensionar equipes de trabalho, alocar profissionais mais produtivos em atividades críticas e contratar mais colaboradores. Houve acréscimo de 60% dos funcionários envolvidos no serviço de contenção para a realização do serviço imprevisto.

Antecipação às falhas
Diferentemente do que acontece em outras obras, os ganhos de produtividade obtidos no UP se devem muito mais ao planejamento e à gestão do que à utilização de sistemas construtivos industrializados. O empreendimento tem estrutura de concreto moldado in loco e vedação em alvenaria.

''Procuramos nos antecipar aos problemas focando principalmente em potenciais gargalos que poderiam impactar no planejamento'', diz Bigucci. Nesse sentido, os materiais que dependiam de fabricação para serem entregues exigiram maior atenção.

O engenheiro Luiz Felipe Campos, que acompanhou a obra, exemplifica. ''No UP, por meio de análises diárias, percebeu-se que o piso cerâmico solicitado não era suficiente para a conclusão dos serviços e que o complemento demoraria em torno de 45 dias para ser entregue. Essa falha poderia provocar grande impacto no cronograma, mas, como previmos esse problema antecipadamente, pudemos intervir para que o piso chegasse a tempo, não impactando o prazo nem a continuidade da execução deste serviço e dos posteriores'', revela Campos.


PRODUTIVIDADE REGISTRADA

Para a execução de revestimento em argamassa na fachada

Para execução de pintura interna com massa corrida

Para execução de pintura interna com látex

- Produtividade dos oficiais Rupof (Hh/m²) - Média obra (Hh/m²) - TCPO (Hh/m²)

Divulgação MBigucci
Com monitoramento individual de cada colaborador e mapeamento detalhado de pontos críticos, construtora antecipou decisões, realocou mão de obra e evitou atrasos que seriam causados por imprevistos na contenção

Resultados obtidos
Durante a construção do UP, a alvenaria, etapa que tradicionalmente é intensa consumidora de homens-hora/m², apresentou bons índices de produtividade. Isso mesmo depois de a construtora ter registrado retrabalhos nos primeiros pavimentos-tipo em função de falhas na compatibilização de projetos. Nesse caso, a saída encontrada pelos engenheiros da MBigucci foi alocar os profissionais que apresentavam índices de produtividade melhores para a realização do serviço.

A medida só foi possível porque a construtora monitora o desempenho individual de cada colaborador. "É necessário andar na obra diariamente, analisando a produtividade de cada serviço que está sendo executado. Também é importante realizar reuniões com toda a equipe, discutindo, no mínimo semanalmente, prazo, custo e qualidade'', defende Bigucci. Segundo ele, o segredo está simplesmente em manter o controle total da obra, prevendo eventuais falhas que possam impactar no planejamento final e corrigindo- as antecipadamente.

Outros serviços que registraram alta produtividade na obra do UP foram o revestimento externo em argamassa e a pintura interna, realizada com massa corrida e tinta látex. A produtividade de ambos os serviços para produzir 1 m² (indicado no gráfico pela linha azul) ficou bem abaixo da média registrada pelas Tabelas de Composições de Preços para Orçamentos (TCPO), da Editora PINI, utilizadas como referência.

FICHA TÉCNICA

Nome do empreendimento: UP MBigucci
Localização: São Bernardo do Campo (SP)
Incorporação e construção: MBigucci
Projeto arquitetônico: Mauricio da Silveira Vera
Paisagismo: Danilo Salerno
Engenheiro responsável: Milton Bigucci Junior
Características: torre residencial de 14 andares, com 84 apartamentos de dois e três dormitórios e área privativa de 50 m² a 75 m²
Início da obra: setembro/2011
Entrega do empreendimento: abril/2014

Destaques da Loja Pini
Aplicativos