Hora de disputar espaços | Construção Mercado

Negócios

Editorial

Hora de disputar espaços

Edição 157 - Agosto/2014
 

Até 2015, 55 shopping centers serão inaugurados no País, 37 deles em cidades que não são capitais. Desde 2010, o segmento apresenta crescimento acelerado, buscando ramificar-se em municípios com até 500 mil habitantes, onde o preço dos terrenos é mais baixo e há oferta de áreas extensas. Além disso, a expectativa de concorrência fora dos grandes centros é menor. Contudo, o número elevado de lançamentos ampliou a disputa por espaços - e pressionou os resultados para baixo. Levantamento do Ibope Inteligência mostrou que a taxa média de ocupação em 21 shoppings inaugurados nos últimos quatro meses de 2013 foi de apenas 38%.

O indicador negativo resulta não apenas da sobreoferta, mas também do arrefecimento da economia brasileira, cujo impacto afeta todas as esferas do setor imobiliário. No caso dos shoppings, há influência direta da desaceleração do varejo, que foi de 3,1% no primeiro trimestre de 2014, em comparação com o mesmo período do ano passado. No caso dos condomínios logísticos, cujo desempenho é fortemente dependente da macroeconomia, o desaquecimento levou a taxa de disponibilidade de 6%, em 2011, para 17%, no primeiro trimestre de 2014. O preço médio de locação, que era de R$ 20 mensais por metro quadrado, em 2012, caiu para R$ 18,50 em 2013, permanecendo estável no primeiro trimestre de 2014.

O cenário de acomodação dos segmentos de shopping centers e condomínios logísticos não significa que os lançamentos serão interrompidos

O cenário de acomodação dos dois segmentos, contudo, não significa que os lançamentos serão interrompidos. O Brasil conta com um inventário de cerca de oito milhões de metros quadrados de condomínios logísticos padrão A - patamar muito inferior ao do México, por exemplo, que chega a 180 milhões de metros quadrados. Da mesma forma, a área bruta locável (ABL) brasileira pode ser largamente ampliada, se comparada à realidade dos shoppings nos Estados Unidos e em países europeus. O sucesso dependerá de planejamento estratégico, com projetos baseados em estudos de mercado, e definição certeira da área de implantação. É hora de buscar boas oportunidades.

Eduardo Campos Lima
editor

TIME TO DISPUTE SPACES
By 2015, 55 shopping centers will have been inaugurated in Brazil, of which 37 will not be in capital cities. Since 2010, the segment has shown accelerated growth in the search to branch out into cities with no more than 500,000 habitants, where the price of land is lower and extensive areas are available. Furthermore, the expectation of competition outside the big city centers is less. However, the high number of launchings has enhanced the dispute for spaces - and has pushed results lower. An Ibope Inteligência survey conducted at the end of 2013, showed that the average occupancy rate in 21 shopping centers inaugurated within the last four months of the year was only 38%.

The negative indicator has resulted not only from oversupply, but also from the cooling of the Brazilian economy, which has impacted every sphere of the real estate sector. As for shopping centers, there is a direct influence on decreased retail sales, which was 3.1% in the first quarter of 2014, compared to the same period last year.

For logistic condominiums, where performance is strongly dependent on the macro economy, the slump has driven a 6% availability rate, in 2011, to 17%, in the first quarter of 2014. The average price of rent, which was R$ 20 a month per square meter,in 2012,fell to R$ 18.50 in 2013, to remain stable in the first quarter of 2014.

The acceptance scenario of these two segments, however, does not mean that launchings will be interrupted. Brazil has amounted an inventory of about 8 million m² of Grade-A logistic condominiums- a much lower level than in Mexico, for example, which has reached 180 million m². Likewise, Brazilian gross leasable area (GLA) can be greatly expanded, when compared to the reality of shopping centers in the United States and in European countries. Success will require strategic planning, with projects based on market studies, and spot on definition from the implantation area. It's time to hunt for good opportunities.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos