Capacidade de isolamento do sistema de cobertura está diretamente ligado ao tipo, espessura e densidade do material isolante utilizado no miolo das telhas. Conheça as soluções mais utilizadas | Construção Mercado

Construção

Cobertura termoisolante

Capacidade de isolamento do sistema de cobertura está diretamente ligado ao tipo, espessura e densidade do material isolante utilizado no miolo das telhas. Conheça as soluções mais utilizadas

Por Juliana Nakamura
Edição 157 - Agosto/2014
 
Foto: Marcelo Scandaroli
Telhas termoacústicas têm baixo peso, montagem fácil e bom acabamento

A necessidade de garantir eficiência energética às edificações e conforto aos seus usuários é o principal indutor do uso de coberturas termoisolantes. Quando devidamente especificados e instalados, esses produtos são capazes de diminuir as trocas térmicas, reduzir o consumo de energia elétrica e atenuar ruídos externos e de impacto. Telhas termoisolantes também podem ser úteis em regiões com elevada concentração de umidade no ar, para evitar o gotejamento que ocorre com a condensação da umidade interna quando as coberturas são expostas ao sol. Além disso, podem auxiliar na obtenção de selos de sustentabilidade por envolverem, em sua maioria, soluções de montagem racionalizada e materiais recicláveis. "Outras vantagens associadas às telhas termoisolantes são a sua capacidade de cobrir grandes panos com baixa inclinação. Ao demandar o uso de poucas peças, reduz-se consideravelmente a possibilidade de vazamentos", afirma o arquiteto Adérito Nascimento.

Compostas por chapas de aço ou de alumínio com miolo de materiais isolantes, as telhas termoacústicas têm como características baixo peso, facilidade de minemontagem e bom acabamento superficial. A capacidade de isolamento da cobertura depende diretamente da espessura e da densidade do material isolante. Quanto mais densos, maior será o poder de isolação térmica.

De modo geral, as lãs minerais são especificadas em situações em que se precisa de isolamento sonoro, além de térmico. Por causa da disposição multidirecional das suas fibras, elas são excelentes absorvedoras acústicas, diferentemente das espumas rígidas, que são ótimas isolantes térmicas, mas não tão boas absorvedoras acústicas. Por seu comportamento em situação de fogo, as lãs de rocha e de vidro também costumam ser especificadas em projetos que exigem maior resistência ao fogo por apresentarem algum risco específico.

Já quando o critério de comparação entre os materiais é o peso, o poliuretano e o poliestireno, mais leves que as lãs minerais, saem na frente. O engenheiro Fulvio Zajakoff, vice-presidente de coberturas metálicas da Associação Brasileira da Construção Metálica (Abcem), explica que hoje a maioria das especificações indica o uso do poliuretano. O material é desenvolvido pela indústria por processo contínuo, o que confere densidade uniforme de ponta a ponta.

Em geral, as telhas termoisolantes têm largura útil de 1 m e espessuras de 20 mm, 30 mm ou 50 mm. O comprimento é especificado de acordo com o projeto, levando em conta a capacidade de transporte. As peças podem ser produzidas com perfis ondulados ou trapezoidais.

A especificação do material isolante influencia também a montagem na obra. Enquanto as telhas com poliuretano e poliestireno são entregues na obra prontas para montagem, no caso das lãs de rocha, de vidro ou de PET, as chapas metálicas chegam separadamente e as mantas isolantes, em rolos.


* Espessuras equivalentes dos diversos materiais para o mesmo isolamento térmico. Fonte: Panisol.

Montagem no canteiro
Em obras convencionais, as telhas termoisolantes são parafusadas sobre terças metálicas ou de concreto com parafuso autobrocante. A fixação é feita sempre na onda alta da telha. Há também a opção de montagem contínua, indicada para cobrir grandes extensões e com pequenas inclinações. No sistema zipado, as telhas são perfiladas no canteiro de obras, sem qualquer tipo de emenda ou sobreposições. Em seguida são fixadas por clipes e posteriormente zipadas, não havendo fixações aparentes. Já no sistema roll-on, é montada uma estrutura de apoio formada por treliças paralelamente dispostas, sobre as quais são desenroladas bobinas contínuas de aço e de recheio isolante, criando canais com o comprimento total da cobertura, sem emendas.

Não há normas técnicas específicas que orientem a fabricação, transporte e instalação de telhas metálicas termoisolantes. No entanto, o setor já se mobiliza para isso, conforme informações da Abcem. Alguns materiais que compõem o sistema são normatizados. É o caso do alumínio que, quando usado como telha, obedece à NBR 7.823 - Alumínio e suas Ligas - Chapas - Propriedades Mecânicas. As telhas de aço revestido com seção ondulada e seção trapezoidal também possuem norma própria e atendem às normas NBR 14.513 e NBR 14.514, respectivamente. Materiais isolantes como as lãs de rocha e vidro e as espumas de poliuretano também possuem textos normativos específicos.

Conheça os produtos

Divulgação: Eternit

Telhas com EPS
Características - São compostas por duas telhas trapezoidais com núcleo de EPS expandido. Leves, são indicadas para os casos em que se deseja uma telha com bom desempenho termoacústico a um custo menor, em comparação às telhas com isolamento de poliuretano. O EPS, diante da ação do calor/sol, sofre degradação rápida. Além disso, se não for bem aplicado, pode sujeitar a construção a infiltrações e à passagem de calor. O material deve sempre ser aplicado com proteção de chapa em suas faces, pois no caso de exposição ao fogo ele pode gotejar em chamas.


PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>
Destaques da Loja Pini
Aplicativos