Construtora emprega sistemas pré-fabricados e mecanização intensa para abreviar em quatro meses prazo de entrega de Centro de Distribuição | Construção Mercado

Construção

Produtividade real

Construtora emprega sistemas pré-fabricados e mecanização intensa para abreviar em quatro meses prazo de entrega de Centro de Distribuição

Por Juliana Nakamura
Edição 158 - Setembro/2014
FOTOS: Divulgação MATEC

Atualmente em execução, a expansão do site de uma multinacional de bens de consumo em Louveira, no interior de São Paulo, permitirá à empresa dobrar de tamanho e chegar a 140 mil m² de área construída. O projeto, desenvolvido visando à certificação Leadership in Energy and Environmental Design (Leed), engloba diversas tipologias de construção em um mesmo site: fábrica, centro de distribuição e prédio administrativo, além de uma interligação com a unidade já existente e em funcionamento.

Um dos pontos críticos para o contratante era a entrega rápida do centro de distribuição (CD). Quanto antes o CD fosse concluído, melhor seria, já que isso eliminaria despesas com a locação de galpões fora da fábrica. Por isso, o planejamento elaborado pela Matec Engenharia tomou como ponto de partida a construção desse edifício. Com foco na velocidade de execução, o CD foi projetado de modo totalmente modular e construído como uma linha de montagem, privilegiando sistemas pré-fabricados e intensa mecanização. Para a montagem da estrutura pré-fabricada de concreto, por exemplo, foram usados quatro guindastes. Outros três guindastes foram usados para montar a estrutura metálica da cobertura, além de várias plataformas intermediárias pantográficas.

Soluções combinadas
Marcelo Pulcinelli, diretor de engenharia da Matec, destaca algumas soluções construtivas determinantes para que o projeto pudesse ser concluído em um prazo máximo de oito meses, com redução de aproximadamente 60% da mão de obra alocada no canteiro. Segundo ele, utilizando métodos tradicionais, uma obra desse porte seria realizada em pelo menos 12 meses.

Para a rede de drenagem, em vez das tradicionais aduelas de concreto, foi utilizada rede com tubos de polietileno de alta densidade de 12 m de extensão. A solução permitiu a montagem de uma rede de dutos que corre de forma intermitente de caixa a caixa. Também ajudou a encurtar o tempo de obra o pavimento de concreto protendido, utilizado tanto nas áreas internas do CD quanto no sistema viário em torno do complexo, que totaliza quase 60 mil m² de pavimentação. "Precisávamos de um sistema que permitisse rápida execução, mas sem prejuízo para a qualidade e a durabilidade", conta Pulcinelli.

Uma das alternativas consideradas foi o pavimento asfáltico, descartado por exigir manutenção mais intensa. Outra opção cogitada foi a do pavimento intertravado, adequado para áreas submetidas a tráfego pesado, mas que ainda é executado no Brasil de modo artesanal. Segundo Pulcinelli, a opção pelo concreto protendido permitiu a execução de grandes panos de pavimento com poucas juntas e a liberação rápida do fluxo. Ao todo três equipes trabalharam simultaneamente na execução, uma do lado interno e outras duas do lado de fora. Segundo cálculos da Matec, a produtividade média registrada pela equipe que trabalhou no exterior foi de quase 2 mil m²/dia.

Outra estratégia determinante para o cumprimento do cronograma exíguo foi a pré-montagem da rede de sprinklers e hidrantes. Visando a redução de riscos e, consequentemente, gastos com seguros, o contratante exigiu que seus sistemas de proteção contra incêndios fossem superdimensionados, extrapolando inclusive o que é exigido pela legislação. No novo CD de Louveira, a densidade da rede contra incêndios é quase 40% superior ao que as normas solicitam.

Se, por um lado, dispor de instalações tão densas é positivo sob a ótica da segurança, por outro requer um esforço maior de execução e de alocação da malha nas coberturas. A saída encontrada pelos engenheiros da Matec foi realizar a montagem de kits com os ramais de sprinklers fora do canteiro, em um galpão alugado. Dessa forma, as malhas chegavam prontas no canteiro para a instalação em seus locais definitivos. Segundo Pulcinelli, além de permitir que a rede de proteção contra incêndios fosse executada em apenas 45 dias, a pré-montagem trouxe ainda como ganho a redução do volume de mão de obra no canteiro em pelo menos 60% para a execução nessa etapa. "Vale lembrar que quanto mais gente no canteiro, maior é o esforço e o custo para treinamento e gestão, bem como para atender às exigências da segurança do trabalho", pontua o diretor da Matec. Conforme cálculos da construtora, fazer a malha de sprinklers do CD com técnicas convencionais de solda no canteiro nos mesmos 45 dias exigiria um mutirão de 70 a 90 operários. Com a retirada de grande parte dessa atividade do canteiro, a construtora reduziu para 25 o número de trabalhadores no canteiro.

FICHA TÉCNICA

Centro de Distribuição de multinacional de bens de consumo Localização: Louveira, SP
Área construída: 75 mil m²
Início das obras (etapa 1 - Centro de Distribuição): novembro/2013
Conclusão das obras (etapa 1 - Centro de Distribuição): junho/2014
Construção: Matec Engenharia
Arquitetura: Equipe de projetos do contratante

EFICIÊNCIA PLANEJADA

Métodos empregados pela Matec diminuíram prazo de execução e uso de mão de obra em canteiro

- Mecanização com sete guindastes e plataformas pantográficas
- Rede de drenagem em tubos de PEAD de 12 m de extensão
- Pavimento de concreto protendido
- Pré-montagem de sprinklers e hidrantes fora do canteiro

MÉTODOS COMPARADOS

Pré-montagem de sistema de proteção contra incêndio, realizada fora do canteiro, permitiu reduzir mão de obra e manter o prazo de 45 dias

Pré-montagem fora do canteiro - 25 trabalhadores

Execução no canteiro - 80 trabalhadores

Destaques da Loja Pini
Aplicativos