Contenção em perfil metálico X contenção em estacas justapostas - Para reduzir custos e impacto nas edificações aos arredores da obra, construtora muda projetos de fundação | Construção Mercado

Construção

Custo comparado

Contenção em perfil metálico X contenção em estacas justapostas - Para reduzir custos e impacto nas edificações aos arredores da obra, construtora muda projetos de fundação

Por Maryana Giribola
Edição 159 - Setembro/2014
Divulgação: Walter & Athos Arquitetos Associados

Ao analisarem os projetos, os ensaios de solo e a logística do canteiro de obras, quase sem espaço para deslocamento de máquinas, os engenheiros da Bilenge Engenharia perceberam que o sistema previsto inicialmente em projeto para a fundação de um edifício hospitalar, em Goiânia, poderia ser substituído.

O projeto inicial previa contenções em perfis metálicos e fundação em estaca-hélice contínua, coroadas com blocos de concreto armado. Mas, segundo Estevão Sarmento Garcia, coordenador de projetos da Bilenge, a cravação de perfis metálicos gera vibrações e ruídos que podem causar incômodo ou até patologias nas edificações comerciais e residenciais ao redor da obra. Por isso, a construtora resolveu analisar a viabilidade da solução com contenção com estacas justapostas e fundação em sapatas isoladas.

A nova solução, além de evitar problemas estruturais em edificações no entorno do prédio, reduziria em torno de 40% o valor inicialmente orçado, como mostram as tabelas na página ao lado. Mas antes de fazer a mudança de sistema, a construtora contratou uma consultoria em solos a fim de realizar um estudo de viabilidade. Foram avaliados os projetos de arquitetura com os níveis de subsolos, a planta de cargas nos pilares do projeto estrutural e os relatórios de sondagens SPT (sigla, em inglês, que significa Teste de Penetração Padrão).

Durante as sondagens, foi constatado que o terreno apresentava características argilo-arenosas com valores de resistência à penetração (Nspt) variando sempre acima de 15 golpes, com algumas regiões com picos de 30 a 40 golpes abaixo do nível do terceiro subsolo, o que poderia prejudicar a vizinhança. Além de evitar esse problema, a nova solução foi proposta como alternativa ao perfil metálico pela facilidade de execução e pela redução do custo final da etapa construtiva.

Garcia explica que a velocidade de execução das contenções com perfis metálicos seria menor, pois a escavação dos subsolos dependeria da execução concomitante dos fechamentos em concreto entre os perfis. No caso de estacas justapostas, não há essa necessidade.

"A distância entre um perfil metálico e outro seria de 1,5 m, que seria complementada por lajes treliçadas para fazer o elo entre os perfis, sem contar que as barras precisariam de emendas para atingir a ficha de projeto, aumentando significantemente o prazo de execução", conta o arquiteto.

Além disso, as sondagens SPT executadas na época de projeto mostraram camadas com valores de Nspt superiores a 40 golpes. Com isso, havia o risco de desvio nos perfis metálicos durante a cravação, sem possibilidade de controle durante o serviço. Já os equipamentos de hélice contínua possuíam torque suficiente para passar essas camadas, principalmente em se tratando de um solo com grande facilidade de perfuração.

Fundações
Ao concluir a escavação dos três subsolos, confirmou-se o bom suporte de cargas do solo. Isso permitiu a substituição da solução inicialmente prevista, que também contemplou a troca das fundações em estacas-hélice contínua por sapatas isoladas apoiadas em profundidades médias de 2 m abaixo do nível do terceiro subsolo com tensões admissíveis de 3,5 kg/cm². "Com isso, pudemos usar mão de obra totalmente própria, sem a necessidade de terceirização, caso optássemos pela estaca-hélice", diz Garcia. Além disso, os quantitativos de concreto e aço utilizados foram reduzidos em relação à solução de fundações profundas com blocos de coroamento.

Outro fator que influenciou foi o reduzido espaço no canteiro de obras. Isso dificultaria a movimentação de equipamentos de hélice continua e sua futura retirada da obra. A necessidade de execução de todas as estacas para início da execução dos blocos de coroamento demandaria maior prazo de obra e afetaria o cronograma de montagem da estrutura metálica. Na solução proposta, a montagem da estrutura metálica foi iniciada antes da conclusão das fundações, gerando um pequeno adiantamento no cronograma da obra.

OPÇÃO A - CONTENÇÃO EM PERFIL METÁLICO E FUNDAÇÃO EM ESTACA HÉLICE CONTÍNUA

OPÇÃO B - CONTENÇÃO EM ESTACAS JUSTAPOSTAS E FUNDAÇÃO EM SAPATAS ISOLADAS

Apoio de engenharia: Fernando Benigno/PINI Consultoria

Esta seção mostra estudos feitos pelas construtoras. As projeções só valem para o caso apresentado. O sistema apontado como mais competitivo pode mostrar-se inviável em obras com outras características e dimensões. O estudo apresentado não deve ser tomado como padrão estrito para decisões de orçamento e escolha de materiais ou sistemas. Construtoras poderão enviar estudos comparativos para publicação nesta seção. Fale com a Redação pelo telefone (11) 2173-2303 ou envie e-mail para construcao@pini.com.br

Destaques da Loja Pini
Aplicativos