Construtora reduz pela metade prazo para execução de serviço utilizando contrapiso autonivelante | Construção Mercado

Construção

Produtividade real

Construtora reduz pela metade prazo para execução de serviço utilizando contrapiso autonivelante

Por Evelyn Oliveira
Edição 159 - Setembro/2014
Foto: divulgação Concreta
Solução técnica também exigiu menos funcionários para a execução do contrapiso em obra de Salvador

A construtora Concreta, de Salvador, optou por utilizar contrapiso autonivelante na obra do empreendimento Maison Biarritz Patamares, na capital baiana. O objetivo era não apenas reduzir prazos, mas também aumentar a qualidade executiva.

Com elevada fluidez, o contrapiso autonivelante, também conhecido como autoadensável ou autoescoante, tem baixa retração, maior durabilidade e é compatível com a maioria das argamassas colantes.

De acordo com Marcio Brito, um dos engenheiros responsáveis pela obra, a construtora ainda não havia usado esse tipo de solução na execução de seus empreendimentos.

Processo executivo
Antes de executar o contrapiso, é necessário verificar as condições do local, que deve estar limpo e totalmente livre de resíduos, fragmentos ou manchas de elementos químicos. No caso da Concreta, foram destacados três serventes para essa etapa.

Em seguida, realiza-se a transferência de nível do contrapiso para cada cômodo, partindo do ponto de origem. Nesse processo, utiliza-se nível alemão, aparelho de nível a laser ou mangueira de nível. Dois serventes foram designados para essa etapa. Instalam-se então as niveletas tipo "aranha", de aço. As niveletas substituem as mestras tradicionalmente utilizadas.

Para o lançamento da argamassa sobre a base, executa-se o bombeamento a partir do térreo, direto da betoneira para a bomba. No caso do contrapiso convencional, seria necessário realizar transporte vertical e horizontal até o local de aplicação.

Foto: divulgação Concreta
Em substituição às mestras tradicionalmente utilizadas, empregam-se niveletas tipo "aranha", niveladas a laser

Depois que é concluído o espalhamento, um pedreiro executa o adensamento no local de aplicação, empregando um vibrador manual. Para a cura da argamassa, o local deverá ser mantido úmido durante as 72 horas subsequentes ao endurecimento. Se a dosagem do aditivo não tiver sido rigorosamente executada, o contrapiso poderá levar mais de 24 horas para endurecer.

Durante o processo, é necessária a colocação de isopor no perímetro das alvenarias (rodapés), para evitar rachaduras posteriores. Outro cuidado diz respeito à quantidade de água indicada para a mistura, que não pode ser excedida.

Resultados
De acordo com o engenheiro Brito, a adoção do contrapiso autonivelante acarretou ganhos de produtividade de mão de obra, uma vez que a execução foi realizada por uma equipe reduzida, composta por cinco pedreiros, cinco serventes e um carpinteiro. Caso fosse empregado o método convencional para a execução do contrapiso, seriam necessários, por pavimento, quatro pedreiros e quatro serventes para aplicação, quatro serventes para transporte de materiais e dois ajudantes de betoneira e um operador para a preparação da argamassa.

Também houve ganhos no planejamento físico da obra, uma vez que foi possível reduzir o tempo previsto para a etapa do serviço. De forma convencional, a execução do contrapiso levaria 24 h (ou três dias trabalhados) para cada pavimento. Com a adoção da solução de contrapiso autonivelante, foi possível acelerar o cronograma. O percentual de redução de tempo por pavimento (164,66 m²) foi de 46,54%: das 24 horas previstas, foram utilizadas 12,83 horas. "Foi possível economizar tempo de mão de obra desde a etapa de limpeza", destaca Brito.

O engenheiro também ressalta que o custo por metro quadrado ficou bem abaixo do orçamento previsto para o método convencional. Por pavimento, o custo do contrapiso autonivelante foi de R$ 2.265,72. Com o método convencional, o custo por pavimento seria de R$ 5.249,36.

Por fim, também foi possível minimizar o estoque de agregados no canteiro, tornando-o mais funcional. "No caso do contrapiso convencional, temos um estoque de areia e de cimento. Nesse caso, como a argamassa já vem pronta, ficamos com espaço mais livre para circulação no canteiro, o espaço fica mais livre para circulação", ressalta Brito.

ARGAMASSA 1:5 (PARA 1,00 M ³)

A argamassa foi fornecida por uma empresa da capital baiana. Foram adicionados 3 l de aditivo por metro cúbico. O processo de mistura leva dez minutos

CONTRAPISO AUTONIVELANTE X SISTEMA CONVENCIONAL

Veja o comparativo de custo e de dispêndio de mão de obra para cada metodologia

ECONOMIA DE TEMPO

Empregando-se contrapiso autonivelante, a redução de prazo foi de quase 50% em relação ao contrapiso convencional

FICHA TÉCNICA

Foto: divulgação Concreta

Nome: Maison Biarritz
Localização: Salvador
Construtora: Concreta
Projeto de Arquitetura: Cássio Santana
Apresentação: duas torres com 15 pavimentos cada e duas unidades por andar. Todos os apartamentos possuem 149,70 m² de área privativa, quatro suítes, com um total de 164,66 m² por pavimento. Dois pavimentos para garagem (cada imóvel contará com três ou quatro vagas e depósito individual)
Área construída: 3,4 mil m²
Início da obra: janeiro/2012
Conclusão da obra: junho/2014

Destaques da Loja Pini
Aplicativos