Empresa adota alvenaria estrutural para executar edifício de escritórios e obtêm ganhos de produtividade, como emprego racional da mão de obra e redução de custos construtivos | Construção Mercado

Construção

Produtividade real

Empresa adota alvenaria estrutural para executar edifício de escritórios e obtêm ganhos de produtividade, como emprego racional da mão de obra e redução de custos construtivos

Por Evelyn Oliveira
Edição 160 - Novembro/2014
MARCELO SCANDAROLI
Paredes duplas da fachada, além de reforços nas caixas de elevador e escadas, possibilitaram execução de edifício comercial em alvenaria estrutural

Com 16 andares e a possibilidade de abrigar até 93 salas corporativas, o edifício Prime Business Center, em São Bernardo do Campo (SP), está sendo executado em alvenaria estrutural - sistema em que as paredes compõem a estrutura e que, por isso, é geralmente desconsiderado para prédios comerciais, que demandam layouts flexíveis.

"Algumas pessoas têm preconceito porque acham que a alvenaria impossibilita mudanças no layout. Isso é completamente equivocado", aponta o engenheiro responsável pela obra, Leandro Seguedim.

O projeto, elaborado pelo engenheiro José Luiz Pereira e executado pela construtora Absoluta, prevê enrijecimento com vigas de periferia e reforço adicional por meio das caixas de elevador e escadas. As paredes duplas na fachada também reforçam a estrutura.

Sem vigas intermediárias e com divisórias em vedação, os inquilinos terão à disposição diferentes possibilidades de ocupação. "Se o cliente quiser comprar um andar inteiro e fazer um pavimento só, isso será possível", afirma Seguedim.

Essas opções tornaram possível adotar a alvenaria estrutural, que permitiu à construtora obter ganhos de produtividade com mão de obra e encurtar os prazos de execução.

Trabalhando com mão de obra própria, a Absoluta planejou a execução simultânea de dois empreendimentos, de maneira a promover o intercâmbio contínuo da equipe de uma frente de trabalho para outra. Além do Prime Business Center, está em execução o Residencial Unique, também em São Bernardo do Campo. Enquanto pedreiros executam a alvenaria em um canteiro, carpinteiros armam as fôrmas no outro, e assim por diante. "Se você tem uma obra só, enquanto os pedreiros executam a alvenaria, os carpinteiros ficam parados - e a conta não fecha", avalia Seguedim.

Para os dois empreendimentos, a Absoluta dimensionou uma única equipe formada por sete carpinteiros, um encarregado de carpintaria, seis bloqueiros de alvenaria, um encarregado de alvenaria, quatro armadores e sete ajudantes. Caso a opção fosse por alvenaria convencional, uma equipe como essa seria necessária para os trabalhos em uma única torre.

O projeto também possibilitou redução dos gastos com o acabamento. "Em um prédio convencional com as mesmas características do Prime, não conseguiríamos fazer a massa externa com menos de 6 cm ou 7 cm de espessura. Com alvenaria estrutural, a espessura do revestimento cai para 2,5 cm. E o mesmo se aplica para revestimentos internos", afirma Seguedim.

A alvenaria estrutural ainda possibilita mais limpeza e menor geração de entulho, já que os blocos dispensam cortes por serem devidamente modulados e as paredes não precisam ser cortadas para as instalações elétricas, que são embutidas.

O sistema foi utilizado em praticamente todo o edifício. Incluindo os três subsolos, há concreto armado apenas até o primeiro andar. Os últimos três pavimentos têm pé-direito duplo, não contando com lajes intermediárias.

O projeto previu blocos de resistências diferentes em cada nível da edificação, variando de 20 MPa (no primeiro e segundo pavimentos) a 10 MPa (no último andar). Nas vedações, foram utilizados blocos de 6 MPa.

Por serem distintos quanto à resistência, os blocos precisam da devida identificação para seu armazenamento no canteiro de obras. "Contamos com máquinas e paletes para ajudar nessa organização, explica Seguedim.

FICHA TÉCNICA

Nome do empreendimento: Prime Business Center
Localização: av. Kennedy, 27 - São Bernardo do Campo (SP)
Arquitetura: Irineu Anselmo Júnior
Projeto estrutural: José Luiz Pereira Engenharia e Projetos
Projeto de instalações: HF Engenharia e Projetos
Construção: Absoluta Construtora e Incorporadora
Área do terreno: 1.006,00 m²
Área construída: 8.461,08 m²
Data de início da obra: julho/2012
Previsão de término da obra: julho/2015
No de pavimentos-tipo: nove pavimentos-tipo com pé-direito de 3,20 m e três pavimentostipo dúplex, com pé-direito de 6,4 m
Subsolos: três subsolos
Blocos estruturais e de vedação: Glasser
Elevadores: Atlas Schindler
Esquadrias: JVM Esquadrias de Alumínio
Aço: Gerdau
Revestimentos internos: Portobello
Revestimentos externos: Cerâmica Atlas

Destaques da Loja Pini
Aplicativos