SindusCon-SP terá grupo de estudo de BIM | Construção Mercado

Painel de Mercado

Painel de Mercado

SindusCon-SP terá grupo de estudo de BIM

Edição 161 - Dezembro/2014
FRANCK BOSTON/SHUTTERSTOCK

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) está finalizando a criação do BIM Owners Group Brazil, um grupo formado e voltado para profissionais interessados em utilizar a tecnologia Building Information Modeling (BIM) para otimizar o design, a construção e a gestão de seus empreendimentos. O grupo seguirá os moldes do que já existe nos Estados Unidos, por exemplo.

Segundo o presidente do SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto, "ainda há muito para avançar na questão do BIM e o sindicato vai incentivar incansavelmente todas as oportunidades que houver em direção aos avanços". O sindicato também está solicitando ao Governo Federal a abertura de linhas de financiamento de hardwares, softwares e de treinamento, para que seja possível implantar o processo em pequenas e médias empresas.

Outras propostas declaradas por Ferraz Neto envolvem o papel das empresas desenvolvedoras de softwares - que precisam ampliar o mercado e oferecer mais treinamento aos usuários - e das universidades - que necessitam reformular seus currículos em relação às disciplinas correlatas ao processo do BIM.

O presidente do SindusCon-SP defende que as entidades de classe ligadas a projeto e execução ajudem na ampliação do processo de difusão do BIM. Já incorporadores e investidores, segundo ele, precisam ser estimulados para solicitarem projetos em BIM, e fabricantes de produtos, sistemas e equipamentos necessitam desenvolver mais suas bibliotecas em prol do auxílio a projetistas e construtores.

Compra e concessão de financiamento serão agilizadas

Já está valendo a Medida Provisória (MP) nº 656, que tem como objetivo agilizar a compra de imóveis e a concessão de financiamento imobiliário ao aliviar a pesquisa de certidões. Sendo assim, a matrícula do imóvel em cartório deverá reunir todas as informações referentes a questionamentos na Justiça que envolvam o bem, tornando mais seguro o processo de compra.

O objetivo é inverter as responsabilidades entre o comprador e o credor. Atualmente, o comprador precisa tirar uma série de certidões negativas para garantir que o imóvel está livre de pendências. Com a MP, isso não será mais preciso. A novidade foi apelidada pelo Governo Federal de "Renavam dos imóveis", pois trata-se de um registro único, assim como o dos veículos. Vale lembrar que, sem as novidades garantidas pela MP, a compra de um imóvel ou liberação de crédito pelos bancos pode demorar de 30 a 60 dias. Mesmo com a validação, será necessário pelo menos dois anos para adaptação à MP nº 656, o que impede que as atuais burocracias sejam extintas de imediato. Enquanto isso, os credores podem atualizar as matrículas com débitos anteriores à publicação da medida. A MP também formaliza a criação das Letras Imobiliárias Garantidas (LIG) como uma nova possibilidade de financiamento para o setor.

Patrimônio de Afetação é tema de livro lançado pela PINI

Durante o lançamento, autora defendeu mudanças e adequações na organização societária das empresas do setor da construção

A advogada e especialista tributária na construção civil Martelene Carvalhaes lançou o livro "Patrimônio de Afetação, SPE, SCP e Consórcios - Estruturação de Negócios em Empreendimentos Imobiliários" em evento organizado pelo SindusCon-SP. O livro foi publicado pela Editora PINI e está à venda na Loja PINI (www.loja.pini.com.br).

Junto ao lançamento, a advogada realizou uma palestra, em que defendeu a necessidade de empresas de construção realizarem uma nova organização societária e contratual específica para cada produto, com base no local, na captação de recursos, no tipo da obra e na tributação de cada atividade e serviço envolvidos. Além disso, a advogada acredita que construtoras e empreiteiras avaliam equivocadamente as opções contratuais e acabam onerando seus negócios ou tornando- se passíveis de autuações que podem ser evitadas. A especialista apontou cinco aspectos considerados equívocos na construção civil: faturamento indevido da construtora quando o empreiteiro é responsável por fornecer materiais; contrato por Preço Máximo Garantido (PMG); serviços com utilização de equipamentos, em que são admitidas faturas de locação; serviços executados por uma empresa e faturados por outra; e serviços de execução com materiais que não requerem o reconhecimento do ICMS por serem de fornecimento específico para a obra (estruturas metálicas e pré-moldados, por exemplo).

Prefeitura de SP estuda implantação do IPTU Verde

A Prefeitura de São Paulo instituiu um grupo de trabalho - composto pelo SindusCon-SP e pelo Secovi-SP - para análise da possibilidade de implantação do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) verde, que pretende dar incentivos tributários a proprietários de imóveis que adotarem medidas sustentáveis em seus empreendimentos imobiliários em fase de construção ou reforma.

O projeto proposto pelo vereador Toninho Vespoli (PSOL) visa a um desconto de até 10% no valor do IPTU para imóveis que adotarem práticas como: instalação de sistemas de captação de água da chuva e seu reúso na habitação ou edificação; construção de cobertura vegetal; instalação de placas fotovoltaicas para captação de energia solar; construções com materiais sustentáveis; separação de resíduos sólidos; plantio de árvores em frente à residência; entre outras.

Outros municípios paulistas como Araraquara, São Vicente, Guarulhos e São Carlos já adotaram o projeto, da mesma forma que Curitiba, Maringá (PR) e Manaus, fora de São Paulo. Salvador, na Bahia, também estuda a implantação.

CURTAS

Construção sustentável
Em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS) lançou o estudo Aspectos da Construção Sustentável no Brasil e Promoção de Políticas Públicas. O material apresenta aspectos vulneráveis da construção civil brasileira em relação às iniciativas sustentáveis e sugere mudanças voltadas aos profissionais e aos órgãos públicos. A publicação está disponível no link: goo.gl/pGoi7b.

Segmento otimista
O Centro Brasileiro da Construção em Aço (CBCA) e a Associação Brasileira da Construção em Aço (Abcem) lançaram a Pesquisa dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck, que apresenta o panorama de 2013 sobre o mercado brasileiro de coberturas em aço e fôrma colaborante steel deck. O levantamento, feito com 50 empresas, indica que 92% das indústrias participantes estimam crescimento do segmento de telhas de aço para 2014, sendo que 42% preveem aumento de até 10%.

15 anos...
A reportagem de capa de uma das edições semanais da revista Construção São Paulo, em dezembro de 1999, destacou a inauguração da Torre Norte do Centro Empresarial Nações Unidas, edifício de alto padrão na cidade de São Paulo. Com 160 m de altura, 152 mil m² de área construída, cinco subsolos e 36 pavimentos, o empreendimento construído pela Método teve R$ 182 milhões de investimento.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos