Com quatro torres dispostas em implantação semicircular, residencial Landscape Beira-Mar se destaca em bairro turístico de Fortaleza | Construção Mercado

Construção

PRÊMIO PINI 2014 - EDIFICAÇÃO RESIDENCIAL

Com quatro torres dispostas em implantação semicircular, residencial Landscape Beira-Mar se destaca em bairro turístico de Fortaleza

Por Heloisa Medeiros
Edição 161 - Dezembro/2014

DIVULGAÇÃO: TECNISA
Vigas curvas com esforços torcionais, elementos de rigidez fora do volume das torres e exigência de durabilidade de 50 anos foram alguns desafios superados pelo projeto estrutural

Com quatro torres dispostas em implantação semicircular, o empreendimento residencial Landscape Beira-Mar foi um dos destaques do mercado imobiliário da capital cearense na época em que foi lançado, em 2009. Concluído em 2013, o prédio tornou-se um marco arquitetônico na paisagem da orla marítima, na praia de Meireles, em razão de sua volumetria inusitada. Dotadas de pavimentos escalonados, as quatro torres formam um complexo residencial em torno de um átrio central que reúne as áreas comuns e de lazer.

Com incorporação da Tecnisa e construção da Integral Engenharia, o empreendimento tem 65,5 mil m² de área construída e 575 unidades de apartamento, com áreas que variam de 40 m² a 300 m². Construído no terreno do antigo Clube da Associação Atlética Banco do Brasil, entre as avenidas Beira Mar e Abolição, o empreendimento foi concebido para um perfil de usuários solteiros, executivos, turistas, pequenas famílias e jovens casais.

A equação era aproveitar a maior área de venda possível permitida pela legislação municipal. O formato do empreendimento inspirou-se em um búzio, explica o arquiteto Luiz Fiúza. "Projetamos o Landscape de forma que o maior número de apartamentos tivesse vista para o mar", destaca. Para melhor acomodação das torres no terreno, o projeto procurou harmonizar ainda o recuo médio horizontal. A massa dos edifícios foi amenizada pela volumetria distinta de cada um, pelo escalonamento das varandas descobertas das unidades de cobertura e pelos vazios nos planos de fachada, que admitiu o recuo médio vertical e proporcionou uma forma plástica diferenciada no coroamento do empreendimento, destacando-se na paisagem da cidade.

Há unidades voltadas para Leste, Norte, Oeste e Sul. As grandes varandas da maioria dos apartamentos, independentemente de sua orientação, proporcionam boas condições de conforto ambiental, segundo Fiúza. As esquadrias de alumínio e vidro fumê, por sua vez, foram especificadas para diminuir o forte efeito da luminosidade da região.

Com um desnível de 3 m entre os lados Norte e Sul, o terreno onde foi construído o Landscape, que teve projeto de infraestrutura elaborado pelo escritório Zaclis Falconi Engenheiros Associados, previu um pavimento enterrado voltado para a avenida Beira Mar (Norte) e dois para a avenida Abolição (Sul).

A fim de enfrentar o lençol freático próximo à cota do pavimento mais enterrado, o plano de escavação estabeleceu a execução de taludes para evitar a lâmina d'água. Em seguida, procedeu-se à execução das cortinas de contenção. Tanto as contenções quanto as fundações das torres foram projetadas em estacas tipo barrete. Em algumas regiões da estrutura, também foram usadas estacas em perfis metálicos laminados.

O projetista estrutural Dácio Carvalho destaca que a estrutura foi viabilizada com concreto armado convencional, sem protensão. Empregaram-se painéis de lajes nervuradas de 9 m x 9 m sem vigas intermediárias, executadas com fôrmas plásticas de polipropileno reutilizáveis, vigas-faixa (com menor espessura em comparação com as convencionais) e pilares com alinhamento concêntrico. "Esse arranjo conferiu grande flexibilidade de venda, pois o layout original pôde ser alterado sem que vigas ficassem à mostra", esclarece.

DIVULGAÇÃO: DÁCIO CARVALHO SOLUÇÕES ESTRUTURAIS

De acordo com Carvalho, o maior desafio estrutural foi o formato anelar e escalonado dos edifícios, o que implicou vigas curvas submetidas a esforços torcionais. "Um complicador adicional foi o fato de os elementos de rigidez dos edifícios, formados pela torre de circulação vertical, escadas e elevadores, situarem-se fora dos volumes das torres", descreve o engenheiro.

A verificação da ação do vento, segundo Carvalho, foi também outro desafio. "A princípio, pensamos em fazer ensaios em túnel de vento. Entretanto, em face dos prazos apertados do cronograma, optou-se pela verificação em modelos 3D computacionais. Foram considerados 24 diferentes ângulos de incidência, variando- se a direção do vento de 15° em 15°", relata o projetista.

O fato de o empreendimento se situar na orla marítima exigiu medidas preventivas, que foram adotadas visando a minimizar futuras patologias e conferir maior vida útil aos edifícios.

"Para garantir pelo menos 50 anos de vida útil para a estrutura, sem grandes intervenções de manutenção, o projeto foi elaborado com adoção da classe de agressividade III (zona marinha), de acordo com a norma NBR 6.118:2007 - Projeto de Estruturas de Concreto - Procedimento, que prevê cobrimentos maiores das peças estruturais do que os usuais, com a recomendação expressa de que nenhuma peça estrutural ficasse exposta às intempéries", enfatiza Carvalho. O concreto utilizado tinha fck = 35 MPa e baixo fator água-cimento, também tendo em vista a durabilidade.

Além disso, adotou-se um rigoroso controle tecnológico, que ficou a cargo da Beton Engenharia, que elaborou os traços prévios, acompanhando de perto todas as fases construtivas - a começar pelos blocos de coroamento das estacas, o que exigiu o uso de gelo para minimizar os efeitos do calor de hidratação associado à elevada temperatura ambiente.

O concreto dos blocos foi dosado com adição de material pozolânico como medida profilática de patologias futuras, contribuindo ainda mais para a durabilidade. Carvalho lembra que essa adição é usada para melhorar as propriedades do concreto, evitando o surgimento de patologias e reduzindo o risco de corrosão de armaduras.

Antes do Prêmio PINI, o empreendimento já havia recebido outras homenagens. Em 2009, sua campanha de divulgação na mídia local lhe conferiu o Prêmio Máster Imobiliário na categoria Marketing, conferida pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi). A solução também recebeu menção honrosa na categoria edificações do Prêmio Talento Engenharia Estrutural 2011, organizado pela Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural (Abece).

FICHA TÉCNICA

Incorporação: Tecnisa
Construção: Integral Engenharia
Arquitetura: Luiz Fiúza Arquitetos
Projeto estrutural: Dácio Carvalho Soluções Estruturais
Projeto de fundações: Zaclis Falconi Engenheiros Associados
Controle tecnológico: Beton Engenharia

Destaques da Loja Pini
Aplicativos