Ensaios de concreto - Eficiência depende de laboratórios que realizem bom controle da qualidade dos ensaios e da emissão de seus resultados | Construção Mercado

Construção

Como contratar

Ensaios de concreto - Eficiência depende de laboratórios que realizem bom controle da qualidade dos ensaios e da emissão de seus resultados

Kelly Carvalho
Edição 162 - Janeiro/2015
DIVULGAÇÃO: ABCP
Uma das primeiras providências das construtoras antes da contratação é se certificar de que o laboratório é acreditado pelo Inmetro. Na imagem, ensaio de compressão de concreto

Os laboratórios de ensaio analisam e atestam a qualidade dos materiais e produtos utilizados na construção civil com a finalidade de dar segurança ao processo construtivo. O controle tecnológico do concreto, particularmente, "consiste na realização de ensaios no concreto e seus constituintes para garantir suas propriedades reológicas necessárias ao seu lançamento, sua resistência e sua durabilidade", define o Geólogo Arnaldo Forti Battagin, gerente dos Laboratórios da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP).

Tanto o concreto preparado em obra quanto o concreto dosado em central devem passar pelas etapas de caracterização dos materiais componentes, estudo de dosagem, ajuste e comprovação do traço e elaboração do concreto. "A vantagem para a construtora que adquire o concreto dosado em central é que ela passa a se ocupar apenas do controle do concreto recebido, ficando a preparação desse concreto e seu controle sob a responsabilidade da empresa de serviço de concretagem, de acordo com a norma ABNT NBR 7.212", explica Battagin.

Embora a qualidade dos componentes seja responsabilidade das concreteiras, o engenheiro Paulo Fernando Araújo da Silva, diretor da Concremat, recomenda às construtoras a checagem dos ensaios dos materiais que chegam às centrais. "As concreteiras têm de fazer um controle rigoroso dos componentes do concreto, mas ainda assim as construtoras deveriam fazer a checagem desses ensaios, mesmo que de forma esporádica", sugere.

Silva comenta que alguns dos problemas mais comuns encontrados nos ensaios laboratoriais são traços de concreto com elevada retração, traços de concreto impróprio para fundação, agregado reativo, brita contendo sulfatos, concretos de baixa resistência e excessos de cimento.

Cotação de preços e fornecedores
A primeira providência que a construtora deve tomar é certificar-se de que o laboratório é independente e não possui qualquer vínculo com a empresa de serviço de concretagem contratada para a obra.

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) atesta a competência e a proficiência do laboratório em realizar ensaios de acordo com as normas técnicas, por isso, é desejável que seja acreditado pelo Instituto. "Um laboratório eficiente deve apresentar bom controle da qualidade na realização dos ensaios e da emissão de seus resultados. Isso inclui evidências de que dispõe de um sistema qualificado, com gestão documentada dos processos, rastreabilidade dos resultados de ensaios, calibração dos equipamentos, obediências às condições ambientais das salas de ensaios, treinamento de pessoal, entre outros parâmetros, sempre de acordo com a normalização técnica", explica Battagin, da ABCP.

NORMAS TÉCNICAS
ABNT NBR 6.118 - Projeto de Estruturas de Concreto - Procedimento
ABNT NBR 12.654 - Controle Tecnológico de Materiais Componentes do Concreto -
Procedimento
ABNT NBR 12.655 - Concreto de Cimento Portland - Preparo, Controle e Recebimento
- Procedimento
ABNT NBR 7.212 - Execução de Concreto Dosado em Central - Procedimento
ABNT NBR 14.931 - Execução de Estruturas de concreto - Procedimento

De acordo com o gerente da ABCP, é importante que o laboratório tenha conhecimento prévio do projeto estrutural, do volume total de concreto a ser utilizado na obra, do tipo de amostragem escolhido, da localização da obra e dos ensaios desejados para a elaboração de uma proposta adequada. "A construtora deve exigir um laboratório qualificado e que ofereça preço compatível com as atividades", ressalta.

O contrato de prestação de serviços de controle tecnológico do concreto deve contemplar a natureza dos ensaios e atividades a serem desenvolvidas, pois isso pode variar de contrato para contrato, dependendo de sua abrangência. Os serviços laboratoriais podem incluir apenas ensaios de abatimento e ruptura, bem como outras atividades geralmente efetuadas pela construtora.

O ensaio de abatimento de tronco de cone é um dos mais comuns entre os requisitos para aceitação inicial do concreto entregue na construtora pela empresa de serviços de concretagem. "Os demais ensaios são realizados no concreto endurecido e, em geral, incluem o ensaio de resistência à compressão, mas outros ensaios podem ser contemplados, a depender do tipo de contrato", afirma Battagin.

Um exemplo é o ensaio de módulo de elasticidade. Mas, a rigor, o controle tecnológico extrapola essas ações. "Há casos em que o laboratório é contratado também para outras atividades, quando a construtora decide delegá-las", diz. "É o caso da liberação das fôrmas para a concretagem, a logística de equipamento e mão de obra necessária para o transporte, lançamento, adensamento e acabamento superficial, além da inspeção de elementos estruturais já concretados, controlando aparência, manchamentos, defeitos superficiais etc.", complementa.

DIVULGAÇÃO/CONCREMAT
Os laboratórios apoiam tecnicamente as construtoras e devem estar sempre atualizados. A foto mostra um ensaio de tenacidade em prensa com velocidade de deformação controlada

CHECKLIST
- Assegure-se de que o laboratório é independente e acreditado pelo Inmetro.
- O contrato de prestação de serviços de controle tecnológico do concreto deve contemplar a natureza dos ensaios e atividades a serem desenvolvidas.
- É importante que o laboratório tenha conhecimento prévio do projeto estrutural, volume de concreto e ensaios desejados, entre outros aspectos.
- O contrato tem de contemplar a natureza dos ensaios e atividades a serem desenvolvidas.

Responsabilidades
Segundo Battagin, a concreteira tem a responsabilidade de entregar o concreto de acordo com o tipo de pedido e características solicitadas, de atentar para as várias etapas de preparo do concreto e de atender as disposições das normas ABNT NBR 12.655 e ABNT NBR 7.112 - o que inclui também a documentação relativa ao cumprimento das prescrições.

"Essa documentação deve ser entregue à construtora e também mantida na concreteira por no mínimo cinco anos", comenta. Ao laboratório cabe a obediência ao contrato de prestação dos serviços de controle tecnológico, já que não existe normalização específica disciplinando o tipo de instrumento contratual.

A construtora tem a responsabilidade de manter os contratos com a empresa fornecedora dos serviços de concretagem e laboratório de controle tecnológico. Deve também responsabilizar-se pela escolha da modalidade de preparo do concreto e suas decorrências, pelo atendimento aos requisitos do projeto, pelo recebimento e aceitação do concreto e pelos cuidados requeridos pelo processo construtivo, de acordo com a ABNT NBR 14.931 - Execução de Estruturas de Concreto - Procedimento.

Logística
Definido o laboratório, Silva, da Concremat, ainda recomenda que haja um encontro entre as partes com antecedência, para a definição do trabalho. "O ideal é que haja um primeiro encontro pelo menos 45 dias antes da primeira concretagem, para a verificação do traço do concreto e do atendimento às normas e especificações dos materiais", diz.

O controle tecnológico consiste basicamente em duas etapas: aceitação inicial do concreto no momento de sua entrega, por meio do ensaio de abatimento e da verificação e aprovação da documentação correspondente ao pedido do concreto; e aceitação final, que consiste no atendimento a todos os requisitos do concreto endurecido, em especial a resistência à compressão.

Em obra, geralmente é feita a amostragem de acordo com o preconizado na norma ABNT NBR 12.655, durante a descarga do caminhão-betoneira, sendo realizado imediatamente o ensaio de abatimento e moldados os corpos de prova para rompimento posterior no laboratório.

O cuidado no transporte dos corpos de prova da obra ao laboratório é essencial para evitar danos às amostras que possam vir a comprometer os resultados. "Dependendo do volume de concreto, do tempo de duração da obra e da distância do laboratório à obra, o laboratório de controle pode ser instalado na própria obra", diz Battagin.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos