Estacas pré-fabricadas - Execução deve seguir itens previstos no projeto de fundações, tais como: características geométricas de cada seção, comprimentos estimados, cargas de projeto e faixas de peso dos martelos a serem utilizados | Construção Mercado

Construção

Como fiscalizar

Estacas pré-fabricadas - Execução deve seguir itens previstos no projeto de fundações, tais como: características geométricas de cada seção, comprimentos estimados, cargas de projeto e faixas de peso dos martelos a serem utilizados

Aline Mariane
Edição 163 - Fevereiro/2015
 

Marcelo Scandaroli

Muito utilizadas em obras que necessitam de agilidade na execução das fundações, as estacas pré-fabricadas de concreto são peças similares a pilares e cravadas no terreno por meio de bate-estaca. Fazem parte da categoria estacas de deslocamento, pois não retiram solo ao serem instaladas e, geralmente, chegam prontas ao canteiro.

Seu uso é mais comum em terrenos cuja camada resistente encontra-se em grande profundidade e abaixo do nível d'água. Entretanto, é preciso considerar as características da vizinhança, pois, caso existam edificações suscetíveis a vibração, a técnica pode não ser viável.

Estacas
De acordo com Luis Fernando de Seixas Neves, consultor de geotecnia e fundações e membro da diretoria do núcleo regional São Paulo da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS), estacas pré-fabricadas de concreto possuem características que variam conforme o fabricante, tais como: material (traço do concreto e tipo do cimento), bitola (dimensão básica), método fabril (concreto armado ou protendido), seção (formato e preenchimento) e armadura.

De concreto simplesmente armado ou protendido, as estacas podem conter aditivos e pinturas especiais. São comercializadas em comprimentos que variam entre 4 m e 12 m. "Quando existe a necessidade de comprimentos maiores, podem ser emendadas", orienta Maria Fernanda Zotto de Almeida, engenheira civil parceira da Construtora Baggio.

No ato do recebimento dos elementos de concreto, o engenheiro responsável ou fiscal da obra deve verificar se estão de acordo com as especificações. Devem ser verificadas as dimensões das seções das estacas, a qualidade dos elementos de concreto, a existência de trincas ou defeitos de fabricação e a idade mínima das peças - para determinar atendimento a critérios de resistência estrutural do concreto. É importante verificar a retilineidade do eixo, a perpendicularidade da superfície do topo em relação ao eixo, a indicação dos pontos previstos para içamento, a indicação da resistência do concreto e a armação utilizada.

Execução
O estudo prévio do solo é fundamental para evitar problemas durante a execução. "Erros são raríssimos, mas pode haver imprevistos no próprio solo", afirma Antonio Claudio Fonseca, professor de arquitetura da Universidade Prebisteriana Mackenzie. Ele se refere a rochas não detectadas durante a prospecção e que impedem a penetração das estacas.

A cravação deve seguir as orientações contidas no projeto de fundações, que deve contemplar a locação das estacas, as características geométricas de cada seção, os comprimentos estimados, as cargas de projeto e as faixas de peso dos martelos a serem utilizados. É dever do engenheiro da obra verificar se a contratante está executando de acordo com as normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Uma das orientações de Maria Fernanda é a inspeção, pelo engenheiro responsável, dos equipamentos de cravação. Os bate-estacas movimentam-se sobre rolos metálicos ou esteiras e são constituídos, basicamente, por chassi metálico reforçado ou por máquina hidráulica (semelhante à escavadeira), por sistema de guinchos e cabos de aço, torre metálica rígida para acoplamento de martelos hidráulicos a diesel ou do tipo queda livre e motor.

Nesse equipamento o engenheiro deve verificar se a torre está retilínea, aprumada (desvio máx. 1:100) e com altura compatível com o comprimento das estacas. Também deve observar se capacete, cepo e suplemento estão em bom estado e compatíveis com a bitola da estaca. Por fim, se o peso do martelo é compatível com o peso das estacas (relação mínima 1:0,75 e peso mínimo de 2.000 kg).

A cravação cessa apenas quando atingidos os critérios de parada previamente estabelecidos, tais como nega para dez golpes, repique ou comprimento mínimo, conforme explica Neves.

Pagamento
As condições de pagamento devem ser estipuladas previamente pelas partes. Há, por exemplo, contratos que pagam por comprimento cravado e outros que se baseiam na previsão de comprimento. "O importante é controlar a quantidade de peças que entram na obra e também suas sobras para que não haja diferença entre o que está sendo cobrado e o que realmente foi executado", ressalta Neves.

Ao estipular o preço é preciso verificar se as estacas cumprem os quesitos estabelecidos em projeto. Quanto ao pagamento do serviço, as condições também são variáveis. "Muitas vezes, o fornecimento das estacas é separado do serviço de cravação das mesmas no terreno", afirma Neves. Sendo assim, é importante fiscalizar tanto a qualidade das peças quanto a execução. No caso de o fornecimento e o serviço serem feitos por empresas diferentes, é recomendável estipular as exigências que cada uma delas deve cumprir.

NORMAS TÉCNICAS
NBR 16.258 - Estacas Pré-fabricadas de Concreto - Requisitos
NBR 6.118 - Projeto de Estruturas de Concreto - Procedimento
NBR 6.122 - Projeto e Execução de Fundações
NBR 9.062 - Projeto e Execução de Estruturas de Concreto Pré-moldado

CHECKLIST
- Ao receber as estacas, cheque se suas características correspondem ao solicitado em projeto
- O projeto de fundação também deve pautar a execução, indicando a locação das estacas, as características geométricas de cada seção, os comprimentos estimados, as cargas de projeto e as faixas de peso dos martelos a serem utilizados
- Durante a cravação, controle rigidamente repiques e negas
- Antes de iniciar o serviço, promova a inspeção do equipamento de cravação (bate-estacas)

 

Destaques da Loja Pini
Aplicativos