Como executar estaca raiz | Construção Mercado

Construção

Técnica ilustrada

Como executar estaca raiz

Por Maryana Giribola
Edição 163 - Fevereiro/2015
 

Indicada para qualquer tipo de terreno, a técnica de estaca raiz é especialmente empregada em solos rochosos e em canteiros que apresentam dificuldade de acesso a equipamentos de maior porte, como bate-estacas e perfuratrizes para hélice contínua. "Como a solução demanda grande quantidade de operários para o lançamento da argamassa, acaba sendo adotada com mais frequência em terrenos com condições adversas", explica Antonio Soares Neto, da Brasfond Fundações Especiais. Outra vantagem é a ausência de vibração do equipamento de perfuração, que torna a execução mais silenciosa e atrativa para canteiros com casas vizinhas.

O diâmetro das estacas varia entre 10 cm e 50 cm e, quanto maior a medida, maior a carga usual de trabalho à compressão que elas suportam. Com a modernização dos equipamentos de execução, é possível projetar estacas com capacidade de carga à compressão de até 200 tf, dependendo do diâmetro final delas. Esse tipo de sistema pode ser executado na vertical ou em posição inclinada e permite alcançar profundidades de até 60 m.

Para calcular o diâmetro, a profundidade e a quantidade de armação a serem utilizadas em cada estaca é preciso fazer sondagem SPT no terreno. Para dimensionar as estacas corretamente, é preciso seguir as orientações da ABNT NBR 6.122:2010 - Projeto e Execução de Fundações. Acompanhe os principais cuidados de execução:

 

1. Posicionamento da perfuratriz
Para posicionar corretamente a perfuratriz, o terreno deve estar nivelado. Antes de começar a perfuração, é importante conferir a verticalidade e o ângulo de inclinação do tubo metálico em relação à estaca locada.

2. Perfuração
Para executar a perfuração, o equipamento injeta água com golpes de baixa pressão ao mesmo tempo em que insere o tubo metálico de modo rotativo. O tubo perfura até atingir a profundidade indicada em projeto. Um cuidado importante nessa etapa é verificar o material que sai pelo tubo para conferir se é o mesmo tipo de solo indicado nas sondagens SPT.

3. Limpeza
Assim que a perfuração atingir a cota de projeto, ainda são injetados golpes de água dentro da estaca, sem avançar a perfuração, apenas para promover a limpeza interna do tubo.

4. Armadura
É o diâmetro de cada estaca que determina a quantidade de armadura a ser empregada nos fustes. O importante é garantir que, durante a concretagem, os estribos - geralmente em aço CA-50 - permaneçam na posição correta. Para isso, utilizam-se espaçadores plásticos ou em argamassa espaçados conforme projeto para manter a estrutura centralizada e o cobrimento determinado em projeto.

5. Concretagem
Durante a concretagem, que acontece de baixo para cima até que a argamassa extravase pela boca do furo, o macaco hidráulico deve ser programado para que a retirada dos tubos metálicos não aconteça de maneira muito rápida a fim de não comprometer a distribuição uniforme da massa. A resistência necessária da argamassa para esse tipo de estaca é de cerca de 20 MPa e o consumo mínimo de cimento estipulado pela NBR 6.122 é de 600 kg/m³.

Por Maryana Giribola
Apoio técnico: Antonio Soares Neto, da Brasfond Fundações Especiais e "Fundações - teoria e prática", 2ª edição, Editora PINI

 

Destaques da Loja Pini
Aplicativos