Menor atratividade da poupança reduz recursos para crédito imobiliário | Construção Mercado

Crédito

Financiamento

Menor atratividade da poupança reduz recursos para crédito imobiliário

Captação líquida negativa da aplicação no primeiro trimestre indica a necessidade de reforço do funding para 2016, na avaliação de analistas

Por Circe Bonatelli
Edição 166 - Abril/2015

BELEKEKIN/SHUTTERSTOCK

O saldo da caderneta de poupança - principal fonte de recursos do crédito imobiliário no País - vem diminuindo seguidamente neste ano, uma situação que não se via há tempos. O cenário não chega a ser desastroso, no entanto requer acompanhamento sobre como ficará a saúde da aplicação e a sua capacidade de financiar a compra e a construção de imóveis no médio e no longo prazo. Há indícios de que o crédito não enfrentará escassez em 2015, mas executivos do mercado financeiro e do setor da construção apontam a necessidade de reforçar o funding para 2016.

A retirada de recursos da poupança superou os depósitos em todos os meses deste ano. A captação líquida ficou negativa em janeiro (R$ 4,4 bilhões), fevereiro (R$ 4,8 bilhões) e março (R$ 9,2 bilhões), totalizando uma perda de R$ 18,5 bilhões no primeiro trimestre, de acordo com boletim do Banco Central (BC) considerando apenas os números do Sistema Financeiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) - sem contar o crédito rural.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Construção Mercado

Outras opções

Destaques da Loja Pini
Aplicativos