Construtora economiza ao ampliar espessura de laje e dispensar manta de isolamento acústico | Construção Mercado

Construção

Custo Comparado

Construtora economiza ao ampliar espessura de laje e dispensar manta de isolamento acústico

Por Aline Mariane
Edição 167 - Junho/2015

DIVULGAÇÃO: CONSCIENTE CONSTRUTORA

A Consciente Construtora chegou a um resultado conflituoso após verificar os testes de desempenho acústico no residencial Botanic Consciente Life, projeto com 140 apartamentos de 160 m² e três suítes, localizado em Goiânia. O indicador Lnt - que representa o nível de pressão sonora e impacto ponderado - atingiu 80 decibéis, o limite máximo admitido pela Norma de Desempenho 15.575, regida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Qualquer desvio na execução do projeto, por menor que fosse, poderia provocar um estouro nesse limite técnico e desrespeitar a norma.

Diante da situação sem margem para erros, a construtora decidiu preparar um estudo comparativo entre duas alternativas para diminuir a propagação sonora pela laje de concreto. A primeira opção seria aplicar uma manta de isolamento acústico. Já a segunda opção consistia em aumentar a espessura da laje de 10 cm (conforme estava prevista no projeto original) para 12 cm.

Segundo o gerente de engenharia do empreendimento, Leonardo Menezes, o estudo comparativo mostrou que a aplicação da manta de isolamento acústico geraria um custo adicional de R$ 104,5 mil, considerando todos os materiais complementares, como tela soldada e fibra de polipropileno, além da mão de obra necessária para execução do serviço.

Por outro lado, o aumento da espessura das lajes em 2 cm cortaria os gastos inicialmente orçados em R$ 5,1 mil. Embora fosse necessário um desembolso extra de R$ 15,9 mil com a aplicação adicional do concreto, haveria uma diminuição de R$ 21,0 mil no consumo de aço. Isso porque, ao aumentar a seção de concreto da peça estrutural, o uso do aço é reduzido. Para executar esse plano, a construtora teria acréscimo de 46,2 m³ de concreto e diminuição de 4,1 t de aço. "Normalmente, em projeto, quando se aumenta a espessura do concreto, se minimiza a taxa de aço", explica Menezes.

OPÇÃO A - APLICAÇÃO DE MANTA DE ISOLAMENTO ACÚSTICO

OPÇÃO B - AUMENTO DA ESPESSURA DA LAJE

* Reduzido em função do aumento da espessura do concreto


Projetista alterou espessura da laje para evitar aplicação de manta e alta de custos

A diferença final entre as duas opções chegaria, portanto, a R$ 109,6 mil. "Houve uma alta no preço do aço. Em função disso, o resultado financeiro da mudança foi positivo", complementa o engenheiro.

Na prática, a alteração no projeto abrangeu a laje dos quartos - que era de 10 cm e passou para 12 cm - e da sala - que passou de 14 cm para 13 cm, pois estava com "folga" em sua capacidade de isolamento acústico. Os demais cômodos permaneceram com a laje prevista originalmente, de 10 cm (veja detalhes na planta). "Entramos em contato com o projetista, que reprojetou a laje do pavimento-tipo e, ao mesmo tempo em que ele aumentou a espessura da laje dos quartos em 2 cm, diminuiu em 1 cm a espessura da sala", conta Menezes. A alteração da laje foi feita nos quartos porque o ensaio de nível de pressão sonora e impacto ponderado para atender à norma de desempenho é aferido nos ambientes de permanência prolongada.

Novo teste
Com o resultado positivo nos custos da segunda alternativa, ainda era preciso verificar como a laje maciça de 12 cm sem manta de isolamento responderia ao teste de impacto de ruído. Segundo Menezes, o resultado final foi considerado satisfatório pela empresa, pois gerou redução do nível de ruído para cerca de 75 decibéis, além do ganho de margem para a execução do projeto de engenharia. "Conseguimos uma redução de 5 decibéis, aproximadamente", conta o engenheiro. "Já partimos para uma mudança de projeto na concepção para atender plenamente à norma e não necessitar utilizar um isolamento."

A Consciente havia verificado esse resultado no teste de impacto de ruído entre unidades autônomas na construção de um empreendimento anterior ao Botanic, que não era obrigado, porém, a cumprir a norma de desempenho. Após esse comparativo, a empresa decidiu trazer como diretriz de projeto para as próximas obras a execução de lajes com espessura de 12 cm em vez de 10 cm.

Esta seção mostra estudos feitos pelas construtoras. As projeções só valem para o caso apresentado. O sistema apontado como mais competitivo pode mostrar-se inviável em obras com outras características e dimensões. O estudo apresentado não deve ser tomado como padrão estrito para decisões de orçamento e escolha de materiais ou sistemas. Construtoras poderão enviar estudos comparativos para publicação nesta seção. Fale com a Redação pelo telefone (11) 2173-2303 ou envie e-mail para construcao@pini.com.br.

Apoio técnico: Leonardo Menezes, gerente de engenharia da Consciente Construtora

Apoio de engenharia: Fernando Benigno/PINI Consultoria

Destaques da Loja Pini
Aplicativos