Índice FipeZap se consolida como referência no acompanhamento do preço dos imóveis e planeja ampliar base de dados | Construção Mercado

Entrevista

Eduardo Zylberstajn

Índice FipeZap se consolida como referência no acompanhamento do preço dos imóveis e planeja ampliar base de dados

Por Larissa Leiros
Edição 167 - Junho/2015
Foto: CAMILA MENEZES




'O mercado imobiliário continua carente (de dados). Além do FipeZap, há apenas o índice do Banco Central, que mede os valores médios das avaliações dos imóveis financiados'





O Índice FipeZap se transformou em uma das principais referências sobre o mercado imobiliário brasileiro ao acompanhar de perto a performance dos preços dos imóveis residenciais nos últimos anos, desde a explosão do setor até seu momento atual de baixa. Lançado em 2011, a partir de uma parceria entre a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o portal Zap, o levantamento mostra a evolução mensal do valor do metro quadrado com base nos anúncios publicados no site. Para as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, a base de dados se estende a 2008, enquanto nas demais, a base é menor.

Essa foi a primeira pesquisa pública e recorrente sobre os preços dos imóveis no País, ajudando a diagnosticar a situação de um setor com peso relevante na economia nacional, mas carente de dados. Lá trás, o índice FipeZap sofreu desconfiança ao apontar alta nos preços na faixa de até 40% ao ano. Havia uma sensação generalizada de que a pesquisa estava supervalorizando o mercado imobiliário e seus anúncios de vendas. Aos poucos, porém, os resultados se mostraram bastante próximos dos números sobre vendas e estoques do setor, apurados por associações empresariais, além do índice lançado mais tarde pelo Banco Central (IVG-R), baseado no valor de avaliação dos imóveis feita por instituições financeiras durante a concessão de empréstimos. Segundo o FipeZap, o preço dos imóveis teve alta de 6,70% em 2014, enquanto o levantamento do Banco Central mostrou alta de 6,80%.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Construção Mercado

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos