Estoques pesam sobre a margem das incorporadoras, aponta analista Daniel Cobucci | Construção Mercado

Artigo

Rentabilidade

Estoques pesam sobre a margem das incorporadoras, aponta analista Daniel Cobucci

Companhias de capital aberto têm endividamento alto e rentabilidade reduzida. Acúmulo de unidades não vendidas aumenta desafios para o setor

Daniel Cobucci
Edição 168 - Julho/2015
 

ACERVO PESSOAL
[Os desafios atuais, que envolvem o alto volume de estoques, o aumento na quantidade de distratos e o elevado endividamento, acrescentam dúvidas quanto ao timing da recuperação das empresas]

O ano de 2015 oferece ainda mais desafios para empresários do setor de incorporação imobiliária, tendo em vista o aumento dos distratos, o arrefecimento do crédito e a elevação dos juros. O retrato que temos hoje das principais empresas de capital aberto do setor mostra uma média de endividamento mais alta e uma rentabilidade reduzida (medida pelo Retorno sobre o Patrimônio, ou ROE, na sigla em inglês), como mostra o primeiro gráfico.

E por que a rentabilidade está reduzida? Antes de iniciar uma resposta, vale lembrar que, conceitualmente, o cálculo do ROE, no modelo DuPont, se baseia na decomposição da fórmula clássica (lucro sobre patrimônio líquido) em três grandes componentes: margem líquida, giro do ativo e alavancagem financeira. Com isso em mente, analisaremos alguns dados do setor buscando correlações.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Construção Mercado

Outras opções

Destaques da Loja Pini
Aplicativos