Saiba como é a montagem de uma grua ascencional | Construção Mercado

Construção

Técnica Ilustrada

Saiba como é a montagem de uma grua ascencional

Uso do equipamento é indicado em obras de prédios altos ou no caso de falta de espaço nos canteiros para a instalação do aparelho ao lado da edificação

Por Maryana Giribola
Edição 168 - Julho/2015
 

Diferentemente das gruas fixas, que são instaladas no térreo e passam por fora dos edifícios, as gruas ascensionais são fixadas nos poços dos elevadores ou em aberturas feitas nas lajes dos prédios, acompanhando o avanço vertical da obra. São indicadas para projetos com alturas muito elevadas ou quando não há espaço suficiente em canteiro para a instalação de uma grua fixa. O que também caracteriza a escolha da montagem ascensional é o entorno do projeto. Em ambientes urbanos, por exemplo, pode haver fiação elétrica ou até mesmo outras construções que interfiram na rotação da lança.

As gruas disponíveis no mercado podem variar de acordo com a altura, a largura, a capacidade de carga do equipamento e o alcance da lança. No mercado nacional, a altura das torres costumam ter de 25 m a 50 m, o comprimento das lanças de 20 m a 60 m e a capacidade de carga, de 1,2 t a 6 t. Os modelos podem - e devem - ser configurados de acordo com a necessidade do projeto. 'No País, as gruas ascensionais costumam pesar até 200 t. Acima disso, o projeto estrutural precisaria de muitos reforços', diz Paulo Carvalho, diretor de gruas da Associação Brasileira das Empresas Locadoras de Bens Móveis (Alec).

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Construção Mercado

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos