Setor imobiliário de Campinas e Jundiaí pega carona com investimentos em infraestrutura | Construção Mercado

Negócios

Raio X - Interior Paulista

Setor imobiliário de Campinas e Jundiaí pega carona com investimentos em infraestrutura

Revisão de legislação urbanística nessas cidades deve melhorar licenciamento de projetos e anima empresários

Por Rodrigo Petry
Edição 176 - Março/2016
DIVULGAÇÃO: BRESCO
Complexo da incorporadora Bresco, ao lado do Aeroporto de Viracopos. Projeto terá R$ 900 milhões de investimentos até 2019 em galpões, hotel e outras edificações

O setor da construção civil mantém perspectivas positivas para o médio e o longo prazo na região de Campinas e Jundiaí, no interior paulista, sustentada pelo desenvolvimento logístico e hoteleiro na região. Apesar do esfriamento dos negócios neste momento, em meio à crise econômica nacional, as atividades locais estão ancoradas no projeto de expansão do Aeroporto Internacional de Viracopos e na revisão da legislação urbanística nas cidades. Esses fatores têm atraído novos investimentos e devem facilitar a aprovação de empreendimentos imobiliários no futuro.

Protagonista da evolução econômica regional, Viracopos foi cedido à concessão para a iniciativa privada em 2012 e receberá aportes de R$ 9,5 bilhões ao longo de 30 anos para ampliar sua capacidade de transporte de cargas e passageiros. A estimativa da concessionária é que o aeroporto seja capaz de dar vazão ao transporte de 80 milhões de passageiros por ano em 2042, um salto enorme frente ao cenário atual, de 10,3 milhões de passageiros por ano.

Parte do dinheiro já foi empregada na construção do novo terminal, que deve ficar pronto neste semestre. O cronograma original previa conclusão da obra antes da Copa de 2014, mas houve falta de recursos das empresas que constituem o consórcio Aeroportos Brasil - formado pela UTC Participações (45%), envolvida na operação Lava Jato, Triunfo Participações (45%) e Egis Airport Operation (10%). Juntas, elas detêm 51% do capital social do aeroporto, enquanto os 49% restantes pertencem à Infraero.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Construção Mercado

Outras opções

Destaques da Loja Pini
Aplicativos