Diretor-presidente da MRV fala sobre as perspectivas da empresa para 2017 e a continuidade do programa Minha Casa Minha Vida na gestão Temer | Construção Mercado

Entrevista

Rafael Menin

Diretor-presidente da MRV fala sobre as perspectivas da empresa para 2017 e a continuidade do programa Minha Casa Minha Vida na gestão Temer

Construtora aposta na demanda reprimida do segmento econômico, já que entre 2010 e 2014, o programa contribuiu para a redução anual média de 2,8% no déficit habitacional no país, gerou cerca de três milhões de empregos e representou 10% do PIB brasileiro

Por Alexandra Gonsalez
Edição 186 - Janeiro/2017
GLAUCIA RODRIGUES

Em 1979, quando o Brasil ainda vivia os duros anos de governo militar, Rubens Menin Teixeira de Souza e dois sócios fundaram, em Belo Horizonte, o grupo MRV. Com o fim da ditatura e a consolidação da democracia, a empresa prosperou, dando um grande salto em 2007, quando se tornou uma companhia de capital aberto, tendo suas ações negociadas na BM&FBovespa. Nesse ínterim, na década de 1990, Rafael Menin, filho do presidente e fundador da construtora, começou a atuar nos negócios da família como estagiário de engenharia civil.

Ele acompanhou de perto quando, em 2009, a companhia fez um movimento que hoje lhe garante a liderança no segmento de construção civil econômica no Brasil. Naquele ano, a convite do então presidente Lula, a MRV e outras seis empresas do setor participaram da elaboração do programa habitacional Minha Casa Minha Vida. Em quase uma década trabalhando com esse produto, as obras do MCMV se transformaram no carro-chefe do grupo mineiro que atualmente se estabelece como a maior construtora e incorporadora de casas e apartamentos para as classes média e média baixa no país, atendendo as faixas 1.5, 2 e 3 da plataforma.

'Estamos presentes em 143 cidades e 21 estados, incluindo o Distrito Federal. Lançamos 40 mil unidades por ano por meio do MCMV', afirma Rafael Menin, diretor-presidente da companhia. O executivo segue confiante com o futuro da plataforma de construção popular, apesar das mudanças no governo e da crise econômica. Turbulências que parecem ter afetado pouco o desempenho da empresa nos anos mais severos da austeridade econômica. De acordo com a pesquisa Setor de Construção - Análise das Vendas, Lucro, Dívida e Valor de Mercado nos Últimos 7 Anos, realizada no segundo trimestre de 2016 pela consultoria Economatica, que desenvolve sistemas para análise de investimentos -, em 2015 a MRV ficou em primeiro lugar em volume de vendas, com R$ 4,76 bilhões, que representa 19,9% do total de faturamento do setor.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Construção Mercado

Outras opções

Destaques da Loja Pini
Aplicativos