Como orçar com BIM | Construção Mercado

Custos e Suprimentos

Como orçar com BIM

Entenda como o BIM (Modelagem de Informações para a Construção) automatiza processos e garante maior precisão à orçamentação

Por Gisele C. Cichinelli
Edição 94 - Maio/2009

5) Orçamentação automática
Após a importação dos cômodos, o sistema solicita que seja aberto o arquivo com as esquadrias geradas pelo Archicad. Cada esquadria é apresentada, possibilitando a escolha do material do qual ela é feita (madeira, PVC, alumínio, ferro etc.), o tipo de vidro (se houver) e o tipo de soleira ou peitoril. Em processo semelhante às rotinas descritas acima, também serão importados os arquivos com a lista de equipamentos hidrossanitários, a lista de alvenarias e a lista de coberturas. Ao finalizar essa etapa, o orçamento será gerado automaticamente.

6) Percentuais a executar
O orçamento, pronto e em planilha Excel, contém várias pastas com o cronograma já preparado para receber os percentuais a executar mensalmente, calculando, assim: os valores mensais e acumulados totais ou somente os valores de material ou de mão-de-obra; a curva ABC de serviços, onde serão listados os serviços por ordem decrescente de importância no empreendimento; o mapa de esquadrias; a lista de cômodos com seus respectivos acabamentos, entre outros itens.

7) Importação para o Volare
O orçamentista que desejar aprimorar o orçamento poderá importar os dados para o Volare, software da PINI de orçamento, planejamento, suprimentos e controle de obras, com banco de dados estruturado. Apenas com um clique a planilha é criada.

Fonte: Bernardo Corrêa Neto, gerente de Engenharia e Custos da PINI

 

Passo-a-passo no Revit

O Autodesk Revit, plataforma da Autodesk para modelagem de informações da construção (BIM), permite precisão no que diz respeito à quantidade de materiais. Com o auxílio do software, a empresa garante que não é necessário submeter arquivos CAD a um orçamentista.  E muito menos que esse profissional leve semanas para calcular as quantidades de materiais requisitadas em um projeto. Segundo a empresa, o modelo BIM é preciso, ou seja, as quantidades estão todas lá, prontas para uso. "O orçamentista e o projetista podem, portanto, dedicar mais tempo ao nível estratégico, refinando o projeto em prol da lucratividade do empreendimento em vez de perder tempo no operacional", esclarece Américo Correa, engenheiro de soluções para AEC da Autodesk do Brasil. Veja a seguir um passo-a-passo do processo com o Revit.

1) Cálculo de quantidades
O Autodesk Revit conta com o recurso Material Takeoff (Levantamento de Materiais) desde sua versão 9. Esse recurso permite calcular a quantidade, o tipo e ainda outros aspectos dos materiais utilizados em um projeto. Com essa informação também é possível realizar análises e estimativas de custo diretamente no modelo do Revit. Para iniciar esse processo, basta acessar a ferramenta em: Vista > Nova > Levantamento de Material. Uma caixa de diálogo pergunta ao projetista quais tipos de materiais ele deseja levantar a quantidade.

2) Alterações
Uma nova vista é criada no navegador de projeto do Revit e, a partir dela, o projetista pode acompanhar as mudanças de custos e quantidades considerando qualquer alteração no modelo. Clicando na opção Propriedades da vista recém-criada, é possível ainda: alterar as unidades, alterar a unidade monetária padrão, incluir informações paramétricas de custos e outros aspectos inerentes aos materiais como, por exemplo, porcentagem de uso de materiais recicláveis.

3) Custos e sustentabilidade
A ferramenta Levantamento de Material do Autodesk Revit não apenas serve para obtenção das estimativas de custos após a modelagem, mas também para o projetista acompanhar, desde o início do projeto, uma série de aspectos críticos que vão desde o custo até a questão da sustentabilidade. O projetista mantém a vista de Levantamento de Material em paralelo às demais vistas de modelagem, análise e documentação disponíveis no Revit.

4) Interfaces
O Autodesk Revit pode ainda conectar-se, por meio de sua API (Application Programming Interface), a softwares de terceiros que realizam cálculos de custos com base nas quantidades levantadas pelo modelo, além de exportar as quantidades para planilhas eletrônicas ou bancos de dados, os quais se conectam a outras aplicações. Isso dá ao produto maior adequação aos provedores de custos locais.

Fonte: John Paul Américo, engenheiro de aplicações da Best Software (Premium Service Provider da Autodesk)

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2
Destaques da Loja Pini
Aplicativos