Setor da construção enfrenta nova queda de emprego em março, diz SindusCon-SP | Construção Mercado

Gestão

Notícias

Setor da construção enfrenta nova queda de emprego em março, diz SindusCon-SP

Retração já é a 30ª consecutiva, com a primeira variação negativa sendo registrada em outubro de 2014

Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb
17/Maio/2017
Shutterstock

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgaram na última terça-feira (16) que 9.983 postos de empregos foram encerrados no setor da construção em março, o que representa uma queda de 0,40% em relação ao mês anterior e de 13,44% a março de 2016. Os dados são baseados em informações do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE).

A redução já é a 30ª consecutiva, sendo que a primeira variação negativa foi registrada em outubro de 2014. Na época, o estoque era de 3,57 milhões de trabalhadores - hoje esse número é de 2,47 milhões.

Os segmentos que apresentaram queda no terceiro mês do ano em relação a fevereiro foram Obras de Acabamento (-1,31%), Imobiliário (-0,93%) e Incorporação de Imóveis (-0,50%). Registraram alta Infraestrutura (0,29%) e Engenharia e Arquitetura (0,12%). Já as maiores quedas no período de 12 meses foram nos segmentos Imobiliário (16,93%), Infraestrutura (0,29%) e Obras de Acabamento (-13,41%).

"O único dado positivo é uma ligeira retomada nos escritórios de engenharia e arquitetura, atividade antecedente de novas obras. Entretanto, em outra atividade antecedente, a de preparação de terrenos, segue a queda no emprego", disse José Romeu Ferraz Neto, presidente do SindusCon-SP.

Em relação as regiões brasileiras, todas tiveram queda em março, sendo a maior no Norte (-0,73%) seguido por Nordeste (-0,53%), Sudeste (-0,40%), Sul (-0,32%) e Centro-Oeste (-0,03).

No Norte as quedas foram registradas em Rondônia (-2,29%) e Amazonas (-1,81%), Roraima como exceção apresentou alta de 0,43%. O Nordeste apresentou queda nos estados do Maranhão (-2,11%), Sergipe (-1,75%) e Ceará (-1,67%). O Rio Grande do Norte foi o único estado que exibiu alta com 2,60%.

Na região Sudeste houve retração em São Paulo (-0,76%) e Rio de Janeiro (-0,51%).  Os estados do Espírito Santo e Minas Gerais registraram aumento de 1,33% e 0,27%, respectivamente. O Sul exibiu queda em todos os estados, sendo o Paraná com a maior baixa (-0,37%) seguido por Santa Catarina (-0,04%) e Rio Grande do Sul (-0,49%). Por último, a região Centro-Oeste obteve variação negativa nos estados do Mato Grosso (-0,66%), Distrito Federal (-0,31%) e Goiás (-0,09%). A salvo do Mato Grosso do Sul que teve alta de 1,29%.

Estado de São Paulo

Em março houve queda de 0,76% no emprego em relação a fevereiro. O estoque de trabalhadores foi de 690,1 mil em fevereiro para 684,8 mil em março (-5.274). Em 12 meses, são menos 93.543 trabalhadores no setor (-12,02Houve queda em todos os segmentos, sendo as maiores em Obras de Acabamento (-1,66%) e Imobiliário (-1,06%).

Destaques da Loja Pini
Aplicativos