Preço de imóveis residenciais continua reduzindo no Brasil em agosto, aponta Índice FipeZap | Construção Mercado

Negócios

Notícias

Preço de imóveis residenciais continua reduzindo no Brasil em agosto, aponta Índice FipeZap

No ano, redução é de 0,5% frente a uma inflação de 1,87%. Valor do metro quadrado médio de venda ficou em R$ 7.643

Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb
6/Setembro/2017

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o ZAP Imóveis divulgaram na última terça-feira (5) que o preço nominal dos imóveis residenciais a venda teve sua sexta queda mensal consecutiva em agosto, com recuo de 0,12% sobre julho. O Índice FipeZap acumula uma diminuição de 0,5% no ano, puxada, principalmente, pela redução de preços nas cidades de Fortaleza, Rio de Janeiro e Niterói. De acordo com o IPCA/IBGE, a inflação no mês de agosto é de 0,44%, enquanto o acumulado no ano chega a 1,87%.

Shutterstock

Entre as 20 cidades brasileiras pesquisadas, 14 apresentaram queda no preço médio nominal em agosto, considerando as maiores variações no Distrito Federal (-0,58%), Rio de Janeiro (-0,53%) e Goiânia (-0,49%). Por outro lado, registraram aumento médio considerável durante o período os municípios de Florianópolis (0,66%), Recife (0,46%) e São Paulo (0,18%).

Nos últimos 12 meses, 11 das 20 cidades pesquisadas obtiveram diminuição no preço nominal médio de venda, com destaque para Fortaleza (-3,24%), Rio de Janeiro (-2,94%) e Distrito Federal (-2,75%). Registraram alta as cidades de Belo Horizonte (+5,13%) e Florianópolis (+3,03%), com resultado acima da inflação acumulada no período.

O preço médio de venda dos imóveis residenciais em agosto foi de R$ 7.643/m². O metro quadrado mais caro entre as cidades pesquisadas se manteve no Rio de Janeiro (R$ 9.975), logo após estão São Paulo (R$ 8.696 e Distrito Federal (R$ 8.297). Os menores valores por metro quadrado ficaram nas cidades de Contagem (R$ 3.530), Goiânia (R$ 4.098) e Vila Velha (R$4.642).

Na análise por bairros, a capital paulista apresentou os maiores valores por metro quadrado nos bairros Vila Nova Conceição (R$ 16.571), Jardim Europa (R$ 15.530), Jardim Paulistano (R$ 15.027), Itaim (R$ 13.557) e Vila Olímpia (R$ 13.099). Os menores preços ficaram entre Cidade A. E. Carvalho (R$ 4.170), Capão Redondo (R$ 4.128), Grajaú (R$ 3.956), Artur Alvim (R$ 3.822) e Cidade Tiradentes (R$ 2.713).

No Rio de Janeiro os preços mais elevados por metro quadrado ficaram nos bairros Leblon (R$ 21.012), Ipanema (R$ 19.744), Lagoa (R$ 17.976), Gávea (R$ 17.078) e Jardim Botânico (R$ 15.701). Os bairros com os preços mais baixos foram Inhoaíba (R$ 2.684), Senador Camará (R$ 2.506), Coelho Neto (R$ 2.491), Pavuna (R$ 2.416) e Cavalcanti (R$ 2.266).

Em Belo Horizonte, os bairros com o metro quadrado mais caro foram Savassi (R$ 11.641), Funcionários (R$ 10.269), Lourdes (R$ 9.523), Belvedere (R$ 9.157) e Santo Agostinho (R$ 8.939). Já os bairros mais baratos foram Conjunto Califórnia (R$ 2.990), Minaslandia (R$ 2.943), Solar do Barreiro (R$ 2.766), Serra Verde (R$ 2.718) e Vale do Jatobá (R$ 2.288).

Vitória e Vila Velha registraram os valores mais altos por metro quadrado nos bairros Barro Vermelho/Vitória (R$ 7.156), Mata da Praia/Vitória (R$ 6.902), Praia do Canto/Vitória (R$ 6.296), Enseada do Suá/Vitória (R$ 6.292) e Morada de Camburí/Vitória (R$ 5.822). Os preços mais baixos ficaram nos bairros Santos Dumont/Vila Velha (R$ 2.984), Jockey de Itaparica/Vila Velha (R$ 2.482), Vale Encantado/Vila Velha (R$ 2.409), Boa Vista/Vila Velha (R$ 2.351) e Centro/Vitória (R$ 2.208).

Em Porto Alegre, os bairros com os maiores valores por metro quadrado foram Três Figueiras (R$ 9.881), Pedra Redonda (R$ 9.098), Bela Vista (R$ 8.274), Moinhos de Vento (R$ 8.126) e Praia de Belas (R$ 7.266). Os menores preços ficaram nos bairros Vila Nova (R$ 3.678), Navegantes (R$ 3.509), Rubem Berta (R$ 3.315), Lomba do Pinheiro (R$ 3.294) e Restinga (R$ 2.754).

A capital paranaense apresentou os preços mais altos por metro quadrado nos bairros Batel (R$ 7.142), Santo Inácio (R$ 6.841), Campina do Siqueira (R$ 6.765), Centro Cívico (R$ 6.722) e Alto da Glória (R$ 6.703). Os menores valores, entretanto, ficaram nos bairros Barreirinha (R$ 3.307), Sítio Cercado (R$ 3.298), Cachoeira (R$ 3.018), Tatuquara (R$ 2.980) e Campo de Santana (R$ 2.971).

A cidade de Florianópolis obteve os preços mais elevados por metro quadrado nos bairros do Jurere Internacional (R$ 9.143), Agronômica (R$ 8.350), Jurere (R$ 7.944), Centro (R$ 7.731) e Pantanal (R$ 7.181). Os menores valores foram registrados nos bairros Capoeiras (R$ 4.195), Ingleses (R$ 4.166), Carianos (R$ 4.148), Vargem do Bom Jesus (R$ 3.674) e Rio Vermelho (R$ 2.210).

Em Recife, os bairros com os preços mais caros por metro quadrado foram Pina (R$ 7.574), Poço (R$ 6.928), Jaqueira (R$ 6.900), Rosarinho (R$ 6.444) e Boa Viagem (R$ 6.302). Enquanto os menores valores ficaram nos bairros Boa Vista (R$ 4.280), Cordeiro (R$ 4.241), Várzea (R$ 4.211), Iputinga (R$ 3.825) e Derby (R$ 3.637).

Por fim, a capital cearense, apresentou os preços mais altos nos bairros do Meireles (R$ 7.469), Mucuripe (R$ 7.366), Guararapes (R$ 6.878), Manuel Dias Branco (R$ 6.872) e Praia de Iracema (R$ 6.751). Os preços mais baixos ficaram em Montese (R$ 3.064), Mondubim (Sede) (R$ 2.980), Cajazeiras (R$ 2.972), Prefeito José Walter (R$ 2.917) e Vicente Pinzon (R$ 2.686).

Reprodução
Reprodução
Destaques da Loja Pini
Aplicativos